terça-feira, 23 de junho de 2009

Kibeloco: de 7 caras para 1 milhão de acessos

Antonio Tabet (publicitário e blogueiro) dono do Kibeloco é uma história de sucesso, neste vasto universo da internet. Com boas sátiras e inúmeras doses de sarcasmo + cara de pau, Tabet conseguiu seu espaço ao sol, no mundo da web, ao tornar o site Kibeloco num fenômeno de sucesso e acessos pelos internautas.

O Kibe (ops, Antonio – como gosta de ser chamado) esteve na Unisul de Tubarão – SC proferindo uma palestra no 2º Plus de Comunicação na noite de segunda-feira (22/06). Não foi bem uma palestra, foi mais um bate papo com a galera que esteve presente lá. (Lembram que convidei vocês pra irem? Publiquei a programação aqui, só não foi quem não quis ou mora bem longe).

Eu tinha curiosidade em saber como o site hilário dele começou até alcançar o sucesso, e tive as dúvidas esclarecidas. É claro que ele não subiu ao palco contando diretamente isso. Ele fez os rodeios (como todos nós gostamos de fazer) até chegar ao assunto principal. Falou que foi repórter da Rádio Globo. Diretor de programação da GNT e Multishow entre outros.

A parte mais legal foi quando ele contou como surgiu o kibeloco (um site que nos diverte até hoje). Na empresa que ele trabalhava, no marketing de um banco, havia um grupo de email chamado sete caras, que era correspondente às pessoas que recebiam as mensagens. O Tabet “muito ocupado” ficava enviando emails com piadinhas e figurinhas que ele fazia, depois de montar no photoshop.

Bem divertido essas brincadeiras de escritório, até que apareceu “o cara” da informática. Disse pra ele que o setor tinha acesso a tudo que se passava na empresa e que, caso estes emails continuasse a circular, poderia dar problemas. Sem ser tonto, o Antonio Tabet não pensou duas vezes (talvez pensou) e criou um blog. Um blog com padrão bem simplesinho e sem graça (igual o meu) e disse pros amigos que a partir daquela data era preciso acessar o site, pra ver às besteiras dele.

O primeiro sucesso no blog? Sátiras com a Playboy da Preta Gil. Não encontrei a imagem para postar aqui, mas ele mostrava a capa da revista onde Preta aparece e fazia piadinhas do tipo “uma revista de peso” etc. O Tabet não tinha nem noção de quantas pessoas acessavam o kibeloco, até seu amigo falar que a tia dele adorava o blog. Quando o Tabet perguntou de onde ela era, e soube que a mesma morava no Espírito Santo, ele passou a ficar preocupado. Descobriu que tudo que postava, tinha repercussão. Então resolveu instalar um contador de leitor no blog.

Daqueles sete caras que recebiam as bobagens diárias, o site passou a ser acessado por 12 mil pessoas diariamente. Ele contou também que nunca foi processado, apenas acionado extrajudicialmente. Algumas empresas como a “Estrela” reclamaram dele fazer montagens colocando a logo na imagem. Porém, ele afirmou que tiraria do ar, mas colocaria a ordem judicial no ar. Então as empresas recuaram. Nesse caso da estrela é interessante, porque as montagens reforçavam o poder da marca como brinquedo, uma publicidade gratuita que a empresa quis processar. Como afirmou Tabet, talvez a empresa ficasse com medo de o Lula acessar e achar que seu bonequinho estava realmente à venda.

Outro sucesso que estourou todo o recorde de acessos ao site foi o vídeo de Willian Bonner imitando o Clô (que Deus o tenha). Foram mais de 4 milhões de cliques. No youtube está entre os mais vistos de todos os tempos.

E ele continuou contando sobre as imagens e vídeos que viraram febre no país por aparição no site. Tudo começou em 2002, mas até estourar no ibope e o Antonio Tabet ver que poderia viver somente do site, levou um tempinho. Hoje ele concilia os trabalhos com palestras, atualização ao site e na produção de alguns quadros do Caldeirão do Huck.

Quem não foi, perdeu. Não entendo como tem gente que não gostou. Ele brincou com a coordenação e organização do curso. Deixou a platéia bem à vontade e contou – do jeito dele de ser – como foi até ele ter visibilidade no Brasil. O que eu narrei aqui foi apenas um pequeno resumo do que ele apresentou.

Pra não dizer que foi tudo perfeito, vou citar dois problemas que eu notei. 1º A Unisul não tem o Office 2007 pra rodar certos plugins. E o 2º MAIS GRAVE: O cara é a favor da não obrigatoriedade do diploma pra exercer o jornalismo. Como nem tudo é perfeito nessa vida, e o Tabet não passa de um porra loca criativo, que se deu bem com o seu talento e criatividade... eu relevei. Porque tem horas que é melhor fingir que não se escuta determinadas coisas, pra não se estressar. Respeito a opinião dele, mas não concordo!

Crédito da foto da Palestra: Angélica Brunatto

2 comentários:

  1. Não é que eu não gostei: eu não assisti a palestra e meu post não foi sobre a palestra. Meu post foi sobre o comentário dele na entrevista ao Jornal do Almoço.
    Abração

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso