segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Além de sujo, ficou com o carro Quebrado

O mundo está repleto de notícias bizarras. Todos os dias, lemos e assistimos situações curiosas no planeta Terra. Esta reportagem do jornal A Notícia - que publico no blog - não é diferente e aconteceu no meu estado, Santa Catarina.

Um homem liga para a lavanderia de automóveis para buscarem o seu veículo para lavar (folgado). O funcionário chega e o dono do carro entrega as chaves (todo faceiro que vai ter o carro limpo). Enquanto ele aguardava a ligação para avisar que o carro ficou pronto... bem, leia você mesmo.
Obs: para melhorar a leitura, clique sobre a imagem.

PS: Sinceramente? Não sei quem foi pior: o funcionário bêbado ou o proprietário que não viu que o cara estava pra lá de Bagdá

domingo, 30 de agosto de 2009

Me levem junto para Porto de Galinhas!!

A Juliana Dacoregio, a blogueira mais blogueira, sexy e bonita de Criciúma (com todo respeito @alexotan), publicou no blog Heresia Loira o post: De blogar se vai longe. Ela conta a experiência de passar as escritas do seu diário de papel para as páginas da web e como isto abriu portas na sua vida, sem contar o contato e a interatividade que há com os leitores que se identificaram com os textos.

O exemplo mais recente de oportunidade - que apareceu por causa do blog - foi o convite para participar do projeto Porto Cai na Rede. Ela está entre os 40 blogueiros selecionados (sortuda) e formadores de opinião que vão passar quatro dias em Porto de Galinhas conhecendo as belezas naturais e atrações da região, para posteriormente divulgar as impressões que tiveram nos seus blogs.

E não acaba por ai. Lá no finalzinho do post da Ju (que quase nos matou de inveja, hehe), há uma esperança para nós - caros blogueiros, humildes e sem dinheiro no bolso. Restam três convites para serem sorteados aos blogueiros que fizeram o post mais legal com o seguinte tema: “Porque eu deveria ir para Porto de Galinhas no Porto Cai na Rede”.

Ai acaba a minha esperança... sempre fui péssimo em criatividade, desde o jardim de infância no colégio. Meus desenhos eram sempre quadrados demais. As pessoas, eu desenhava como palitinhos e mais a bolinha na cabeça. Os veículos, eu desenhava sempre um chapéu sobre rodas. As flores eram três palitinhos, com uma bolinha na ponta coberta de um emaranhado de M (minúsculo) em cima. A minha casa, era um quadrado em baixo e um triângulo em cima. Cresci e meus desenhos não mudaram...

Nas aulas de diagramação do curso de jornalismo, a professora odiava as minhas páginas. Eram sempre quadradas, mortas e sem criatividade (com texto na esquerda e a foto na coluna da direita.)

Você pode estar se perguntando: Mas é para desenhar ou para escrever algo criativo sobre a ida a Porto de Galinhas com o projeto Porto Cai na Rede? O problema é que a falta de criatividade nos desenhos, foi transferida para os meus textos também. Incrível como falta-me criatividade para bolar algumas ideias. Eu sempre busco seguir um padrão daquilo que vi, gostei e acho que dá certo. Até no Twitter eu passo trabalho, pois sempre me falta algo legal e criativo para postar pra galera em 140 caracteres.

Para dizer à equipe do Porto Cai na Rede, o porquê eu deveria conhecer Porto de Galinhas... eu não teria nada de criativo e nem legal para falar, sem ser a minha sinceridade (o meu lado forte). É que me formei há pouco tempo, trabalho muito e (até o presente) ganho pouco, então não vou ter oportunidade de conhecer este local paradisíaco pelos próximos anos com recursos próprios.

Sou pobre minha gente e é claro que gostaria de ganhar este convite também. Até porque pobre só sobe na vida quando brinca de gangorra ou quando recebe uma ajudinha de alguém :)

Já que a criatividade não é o meu forte... tais esperando o quê, caro blogueiro? Tente (também) o teu espaço ao sol, faça contato com eles e BOA SORTE!

Vai que numa dessas eles nos escolhem!

sábado, 29 de agosto de 2009

Seja um co-piloto Exemplar

Final de semana deu as caras, o sábado está com um sol lindo e o destino de muitos é pegar uma praia, uma balada e fazer a festa. Como toda boa festa, há muita bebida e povo animado se divertindo até dizer: CHEGA!

Depois tem a volta pra casa e vem o dilema. Quem vai dirigir? Independente do motorista solidário que vai ceder a carona, uma coisa é certa. É preciso - no mínimo - se comportar para, quem sabe, ganhar uma nova carona na próxima festa que tiver. Assista este vídeo que ensina as 10 coisas que não se deve fazer quando estiver de co-piloto.

Se o motorista estiver mal, a número 9 fica liberada :)

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O quê que tem dentro de um balão?

Dois dias sem atualizar o blog? Que desrespeito com vocês, caríssimos espiões e visitantes do meu micro espaço na web. A correria do trabalho me impede de atualizar isto todos os dias (faz parte).

Entretanto, não posso deixar de postar esta piadinha infame que escutei de um colega, durante a correria diária... Ele me perguntou: O quê que tem dentro de um balão?

ArEbaba!

PS: Nem preciso dizer a cara de tacho que fiz naquela hora...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Achei a irmã gêmea da minha Cachorra

Hoje o papo é animal (literalmente). Quem não gosta, volta amanhã ou depois (ou navega nos arquivos) pra ver se tem outro assunto diverso que te interessa.

Já contei que tenho uma cachorra? (Quem? Maria? Joana? Fernanda?) Nem, nem... cachorra mesmo, daquelas que falam "Au Au". O nome dela é Lilica e a mesma é uma guaipeca da raça "Viralatõn". Há OITO anos houve uma misturinha entre poodle com pequenês e nasceu ela. A dona lilica é grande, meio forte, gosta de brincar de bolinha e parece uma vaquinha (era pra rimar?). Não, a foto provará.

Estava num momento de ócio - espionando as atualizações do Orkut - quando vejo numa foto em miniatura, a foto da minha cadela lá... Mas como?? (pensei) se nem coloquei foto dela no site de relacionamento, como ela aparece ali? Clico pra ampliar e olha o que vejo!

Não se assuste.

Quem gosta de cães sabe: É que nem um filho... Por mais que as pessoas achem feio, nós (os donos) achamos a coisa mais linda do mundo.

Voltando a foto... quase cai da cadeira quando vi esta imagem no orkut de uma amiga lá do Mato Grosso. Não é muito comum achar viralatas com o pêlo malhado parecidos. E essa é igual a minha e tem o MESMO nome. Dá uma olhada na minha cachorra pra ti ver.

Essa é a minha cachorra

Impressionante a semelhança com a cadela lá de cima. Deve ser a irmã gêmea, nunca tinha visto nada parecido. É claro que vocês estão dizendo E O KIKO? pra esta semelhança.

Mas, sei lá pessoas... achei interessante achar outro cão tão semelhante como a minha. É no mínimo estranho, se tratando dessa raça mistureba (que aqui em casa tanto amamos).

domingo, 23 de agosto de 2009

DOMINGO: Dia de receber os parentes

Domingo não é apenas chato porque antecede a segunda-feira, às horas passam rápido demais e tem Faustão e Gugu na TV. Domingo tem o seu lado bom também. O quê? Visita de parentes (será que isso é bom?)

Depende dos familiares. Há famílias que juntas, fazem a festa. É o momento que vem aquela parentada puxando nossas bochechas dizendo "nossa, como você cresceu... como está bonito", e contam mais uma série de bobagens e mentiras para nos agradar.

E para as tias solteironas, chatas e encalhadas, como é que se faz? Vivem reclamando de tudo e o papo delas é só sobre os bons modos e que não devemos fazer isto, nem aquilo, etc... O que fazer para dar um trato nelas e colocá-las no seu devido lugar?

Para isto, chame o Réx...

Ele vai receber a visita (chata) com muito carinho

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

De tarde quero descansar...

Que semana corrida galera... Mal tive tempo de atualizar o blog e visitar os blogs dos amigos e parceiros de blogger que sigo por aqui. Porém, graças a agregadores de conteúdos, acho que nunca recebi tantas visitas. Mais de 500 acessos por dia. Mas tudo isto é passageiro, depois volta as visitações normal de 40 ou 50 pessoas que são vocês, verdadeiros leitores e colaboradores deste humilde espaço. Já que chegamos a mais um final de semana, poderei visitar todos e comentar também.

Devido ao cansaço e excesso de trabalho, posto esta música que todos conhecem. Muitos acham depressiva demais e quase cortam os pulsos, já eu, acho ela relaxante e ideal para alguém que: está podre de cansado, sozinho e carente (normal... é fase, daqui a pouco passa).

De tarde quero descansar
Chegar até a praia e ver
Se o vento ainda esta forte
E vai ser bom subir nas pedras

Sei que faço isso pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...

Agora está tão longe
ver a linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhávamos juntos
Na mesma direção
Aonde está você agora
Alem de aqui dentro de mim...

Agimos certo sem querer
Foi só o tempo que errou
Vai ser difícil sem você
Porque você esta comigo
O tempo todo
E quando vejo o mar
Existe algo que diz
Que a vida continua
E se entregar é uma bobagem...

Já que você não está aqui
O que posso fazer
É cuidar de mim
Quero ser feliz ao menos,
Lembra que o plano
Era ficarmos bem...

Eieieieiei!
Olha só o que eu achei
Humrun
Cavalos-marinhos...

Sei que faço isso
Pra esquecer
Eu deixo a onda me acertar
E o vento vai levando
Tudo embora...

(Vento no Litoral - Legião Urbana)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

O Troquinho Nosso de Cada Dia

Fala a verdade: A grande maioria bate os olhos nos artigos escritos aos jornais, vê que há muita coisa para ler e muda de página... ou estou errado? Acho que não.

Mas este artigo do Alfredo Leonardo Penz, publicado no jornal A Notícia de 19/08/2009, vale MUITO a pena ser lido. Ele escreveu o texto contando sobre o "Troco nosso de cada dia". Sabe aqueles centavos que são transformados em balas, pelas grandes redes de supermercados? Pois então...

Fazia tempo que eu não lia um artigo tão bacana, que me prendesse na leitura do início ao fim. Reservem um tempinho e, se não tiverem tempo agora, voltem depois pro Blog e leiam para ver se concordam com o Penz.

O troquinho nosso de cada dia

Com certeza, você já conhece esta cena: após passar por algum caixa e pagar suas compras, na falta do troco, lhe ofereceram balas em vez do troco propriamente dito. Não precisam nem responder.

Morei nos Estados Unidos por seis anos e sempre me retornaram o troco, independentemente do seu valor. Lá, se o seu troco for três centavos, você recebe três centavos. Se for um centavo, você recebe o seu rico um centavinho, chamado de penny. Jamais me ofereceram bala de troco, nem chicletes, tampouco caixas de fósforo. É uma questão de cultura: não importa quanto; dinheiro é dinheiro. Aqui no Brasil, ninguém reclama da falta do troco. Em países de primeiro mundo, o troco é sagrado.

Comecei então a fazer experiências: exigir o troco só para ver a reação das pessoas. Bastaram algumas tentativas para receber hilárias respostas. No caixa de um supermercado, minha conta foi de R$ 6,49. Dei R$ 6,50 e disse: “Quero ver se você vai ter o troco”. Ela respondeu: “Se o senhor quiser, chamo a assistente de caixa”. “Sim”, repliquei. A moça do caixa ao lado se virou e olhou pra mim. Tentei imaginar o que ela estava pensando: quem é este chato que está querendo R$ 0,01 de troco? Ela acendeu a luz. Em poucos instantes, chegou uma assistente de caixa e ficou sabendo que eu queria meu troco. Ela foi buscá-lo. Durante a espera, as duas caixas começaram a conversar comigo: “A próxima vez que eu vir o senhor, já vou acender a luz (risos)”. A outra retrucou: “Pior é que ele tem razão: nós deveríamos ter uns centavinhos na gaveta do caixa”. A assistente voltou; recebi, então, meu troco.

Na sequência, entrei em duas lojas de R$ 1,99 e comprei o mesmo produto: paçoquinhas de amendoim. Nestes dois testes houve respostas diferentes. Na primeira, a moça do caixa me perguntou se poderia ser uma balinha de troco; disse-lhe que não. A cliente que estava atrás de mim olhou com espanto. Ela me deu meu R$ 0,01. Percebi que ela também tinha um pote com balas, bem à mão, próximo ao caixa. Na segunda loja, foi diferente. Quando entreguei minha paçoquinha, a pergunta foi a mesma: “Pode ser uma bala?” Claro que eu disse não. Ela então disse que não tinha troco; retruquei que queria meu troco. Ela se rendeu e me deu R$ 0,05, porém antes me perguntou: “Você tem quatro centavos de troco?” E eu respondi: “Não”. Então ela disse que eu poderia ficar com aquela moedinha.

Numa lotérica, a moça do caixa disse que não tinha o meu troco: R$ 0,04. Falei-lhe que queria meu troco (estava rindo por dentro, porém queria ver a reação dela). Ela pediu para deixar para o próximo dia. Insisti que queria meu troco. Ela me devolveu R$ 0,05. Na semana seguinte, quando voltei à lotérica, havia um cartaz: “Favor confira o seu dinheiro no ato do troco. Não aceitamos reclamações”. Parece até piada, mas é a pura verdade.

Vamos fazer uma conta rápida: imagine que você passou no caixa de um supermercado e ele ficou devendo o seu troquinho: R$ 0,02. Multiplique por cem clientes em um dia. Agora multiplique por 30 “bocas de caixa”, por dia. Continue multiplicando por 30 dias. Finalmente, multiplique por dez lojas em todo o Estado. Total: R$ 18 mil. Você sabe quem paga aqueles brindes que são sorteados no final do ano? Nós, com o nosso rico troquinho, juntando cada centavinho que nós não exigimos; e são só dois centavinhos!

Outro dia, quando minha filha estava passando pelo caixa perguntaram a ela: “Posso ficar devendo R$ 0,10?” Ela respondeu com a mesma pergunta: “Posso eu ficar devendo R$ 0,10?” Disse-me que recebeu de troco R$ 0,25, com uma batida de mão no balcão e uma “cara feia”.

Para finalizar, um amigo gerente aposentado de várias agências bancárias em Joinville me disse que as moedas de R$ 0,01 não estão mais sendo produzidas pelo Banco Central. Pois é, meninos e meninas, aonde vamos parar? Eu só sei de uma coisa: faço questão do “troquinho nosso de cada dia”. Não quero mais balas.
________
Parabéns pelo artigo, Penz.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Dar dá Dinheiro?

Olá meus amigos virtuais e fiéis leitores deste blog (25 pessoas, eeee \o/)

Hoje divido com vocês (honestos trabalhadores), a minha frustração. O que é? Vou contar. Estava (eu) passando por uma rua meio obscura aqui da minha cidade, enquanto fazia o trajeto para ir à missa da Renovação Carismática. Até ai, tudo bem. Em vários post's, já contei que gosto da celebração deles e não há nada demais.

Onde está a frustração? Quando o sinal fechou, paro com o carro (da minha mãe) e espero pacientemente aparecer o verde, até que vejo DOIS travecos prostitutos, estacionando seus carrões (último modelo do Vectra e do Corolla), na mesma rua escura. Eles descem de seus carros, colocam alarme e ficam na esquina aguardando a chegada do primeiro cliente.

Confesso que fiquei de cara. Puxa vida, que decepção! Pelo carro, aparentemente eles são bem de vida e não passam fome. Vão para a esquina comercializar o corpo, justamente para manter este bom padrão de vida. Então pensei: Meu Deus, que mundo injusto. A gente se fode durante o mês, rala que nem cachorro para ganhar o salário que mal paga o básico da nossa sobrevivência. Já eles, são fodidos durante as noites, (k-entre-nós: vender o corpo está longe de ser considerado normal) e ganham o bastante para estar sempre com o melhor carro.

Onde está o erro?
Será que devemos considerar normal que, quem trabalha de forma digna, mal consegue pagar as contas no final do mês... enquanto quem vende o próprio corpo, tem tudo do bom e do melhor? Será que para obtermos estes confortos na vida (de forma mais rápida), este é o caminho? Se for assim, vou sempre depender de ônibus...

domingo, 16 de agosto de 2009

Quando a gripe virou coisa séria?

A semana acabou e agora estamos iniciando outra novinha em folha. Segundo o calendário, é no domingo que começamos uma nova semana. Espero que não seja tão chata como foi a outra, que - por causa da gripe A - teve uma série de eventos cancelados na minha região.

Recebi por email, uma imagem sugestiva de quando as autoridades (e os homens em geral) começaram a se preocupar - de fato - com os riscos da gripe A. Vejamos

Agora tá explicado!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

É bom ter pensamento positivo

Todos sabem (mãe, minha cachorra e eu) que eu prezo muito o pensamento positivo. O bom pensamento nos revigora e dá força e coragem para seguir adiante. Inclusive quando estamos na M****, pois é ali que adubamos a nossa vida.

Só que olhando a seção de cartas ao leitor do Diário Catarinense, de hoje, vi alguém que me supera e MUITO neste quesito. Olha o que ele escreveu para nós, leitores.

Gostei: se alguém souber qual o chá da felicidade (cogumelo) que ele tomou, me avise!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Massa vai voltar e Rubinho que se cuide

Olá ilustres visitantes e espiões deste blog!

Como já é de conhecimento de todos, no dia 25 de julho - durante o treino da Fórmula 1 para a prova do GP na Hungria - o Rubinho Barrichello (sempre ele) pensou que estava brincando de Mário Kart e atirou um objeto no Felipe Massa que vinha logo atrás (atrás do Rubinho? incrível)
Ok, ok, Não foi bem assim. Foi um acidente. Uma mola do carro do Rubinho saltou (carro dele com problema? novidadee) e acertou em cheio o capacete do Massa, que corria a 280km/h. Com o impacto, Felipe perdeu o controle do carro e bateu contra uma proteção de pneus. O estrago foi feio.

A boa notícia de hoje é que o Felipe Massa está bem. A notícia foi dada pelo Rubinho no Twitter dele.


Com a recuperação, Massa está pronto para voltar às pistas com um carro adaptado

O Rubinho que se cuide!

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Não adianta evoluir apenas na Tecnologia

Essa charge genial do Zé Dassilva, encontrei no Diário Catarinense e faço um "crtl+v" aqui no blog.

Achei a mensagem ótima, para todos nós brasileiros. Não adianta evoluirmos apenas na tecnologia, se continuamos assistindo (no presente) as mesmas figuras no cenário político. É hora de darmos um UPDATE na escolha dos nossos representantes. Ano que vem é ano de eleição...

Alô povo do Maranhão, não escolham o Sarney de novo (para o bem do Brasil). E povo do Alagoas, por favor né? Collor de novo na política? Ninguém merece! Escolham outros representantes, vocês são inteligentes (penso eu), vocês conseguem. E se, no ano que vem, o mandato destes senhores não estiver no fim... então Tamofu :x


ATT (11/08/2009) obs: o velho Sarney não foi eleito pelo Maranhão e sim, pelo Amapá. colaboração da Thaise nos comentários - Thanks

sábado, 8 de agosto de 2009

O que você faz na hora do aperto?

Que pergunta mais abrangente né? Aperto do que? Financeiro? Em boates? De bexiga pesada? De Saúde?

Me refiro ao aperto em geral, naquelas fases que a vida te dá mais uma rasteira do que te ajuda a levantar. Aquelas fases da vida em que tudo está aparentemente "certo", como 2 + 2 = 5.

No meu pouco tempo de vida (mais de duas décadas, óhhh!) vejo que uns ficam nervoso e saem chutando tudo. Outros viram emo, colocam cabelo pro lado e ficam nos cantos só chorando. Outros mergulham numa cama em depressão, não querendo nem ver a luz do sol. E outros encaram como problema passageiro, levantam a cabeça, sacode a poeira e dão a volta por cima.

Eu procuro pertencer a este último grupo. Tento encarar os problemas como passageiro e busco me reerguer. Todos nós temos problemas na vida, dos mais diversos como: amorosos, financeiros, de saúde e entre outros...

Buscar sair de uma situação difícil não é uma das tarefas mais fáceis. É preciso recorrer alguma ferramenta. Com auxílio da minha vó, eu escolhi a ferramenta da (não é surpresa, porque já confessei em vários posts neste blog e tá ali na minha descrição).

Sim, acho tão importante ter fé e deixar o seu problema com alguém superior. Além de aliviar o corpo da gente - quando menos esperamos - a vida resolve voltar ao seu devido lugar. É claro que apenas a fé não se resolve tudo. É preciso agir. Porém, com a fé os problemas são amenizados e a confiança em conseguir resolver tudo, fica bem elevada.

Por hora, minha vida está fora dos trilhos. Muitos problemas e pouca solução. Mas não ei desanimar não. Deposito minha confiança a quem acredito entender dos mistérios que regem esta vida. Enquanto não vejo as coisas no seu devido lugar, vou vivendo... vou levando na base da confiança de que - uma hora - tudo ficará bem e melhor de como era antes.


quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Por que o ÓBVIO não acontece?

Segunda-feira (03/08), participei do lançamento da campanha a favor do diploma para exercer a função de Jornalista.

Precisamos nos mobilizar para que (novamente) a profissão de jornalista seja valorizada com uma graduação para poder exercer a função. K-entre-nós... é ou não é óbvio que quem escreve para o grande público, levando notícias através da mídia de jornal, rádio e televisão, precisa de (no mínimo) uma formação na área para melhorar o nível dos profissionais? Claro que é! Então porque lutamos? Porque uma pequena parcela de pessoas influentes acha o contrário. Eles pensam: pra que formação na área, não é mesmo? Deixa qualquer zé mané poder ser "jornalista".

Outro assunto: Esta semana o senado voltou de férias (tadinho, eles trabalham tanto). E o mesmo Senado Federal está paralisado por causa de desmandos do presidente da casa que pratica atos ilícitos, secretos e não tem condições alguma para fazer do senado um local exemplar para o povo brasileiro. Nome dele? José Sarney.
Um presidente deste que não tem moral e nem capacidade para administrar bem o senado, merece ser presidente? Óbvio que não! Então por que está lá? Por força de amiguinhos influentes, cujo representar o povo, não é o objetivo deles. E sim, encher o bolso com interesses e favores.

Último assunto: Na minha cidade, temos uma população de animais (não racionais) nas ruas abandonados. Reviram lixeiras e espalham doenças pela região. Eles merecem um Centro de Zoonoses? É Óbvio que sim!

Por que não tem? Porque moradores de vários bairros, mal esclarecidos sobre o funcionamento do Zoonoses, não permitem a construção deste centro no seu bairro. Cobram uma solução para os animais de rua, mas não cedem para resolver o problema. Resultado: Temos verba, mas não temos local para abrigar o centro de controle. Até o Ministério Público já pulou fora da negociação!

É isso que me dá raiva. Fico indignado, é por isso que não vamos para frente. As coisas mais óbvias a se fazer estão na nossa frente, mas alguns seres humanos insistem em complicar e patinar no mesmo problema. Até quando? Complicado...

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Prefiro com Celulites

Segunda-feira é o dia oficial, da semana, em que milhares de mulheres deste mundo começam a sua dieta. Hoje, estas guerreiras que declararam guerra contra a balança estão com auto estima elevada.

Acham vitoriosas por trocar três pães franceses do café da manhã, por uma torrada de água e sal. Estão felizes por trocar aquele chocolatinho do meio da manhã, por uma maçã. Estão esperançosas de que vão se adaptar ao novo almoço, que deixou a pizza e a lasanha de lado para mergulhar num franguinho seco com alface e tomate.

O café da tarde é outra guerra vencida. Aquele bolo de laranja com cobertura de chocolate, foi substituído por uma barra de cereal. A janta? Nada de feijoada, risoto de camarão ou similares. Se for guerra, é guerra. Então ela se joga numa sopa de legumes.

Ao terminar a segunda-feira - o primeiro dia da dieta - as nossas guerreiras deitam em suas camas exaustas, mas orgulhosas de si mesmas. Cumpriram a risca com a tabela de calorias a ser consumida, neste dia.

Elas apalpam aquela gordurinha na barriga e no bumbum, falam com olhar de ódio: “Você vai sumir dai, não quero te ver NUNCA MAIS”, e dormem querendo acordar já se vendo enxutas.

Bom seria, se a vida fosse assim. Depois do primeiro dia de dieta, vem o segundo. E depois o terceiro, o quarto, e o quinto... falta muito? Passa uma semana, muitas já estão vendo miragens. Não podem ouvir falar em chocolate e em pizza que a boca já começa a espumar. Náuseas, tonturas e fraqueza (tudo psicológica) resolvem aparecer e as nossas delicadas mulheres, jogam a culpa naquele prato cheio de mato verde.

Ficou impossível ver cor verde pela frente. Água então... passou a ter gosto, de tanto ter que tomar. Na terceira semana de dieta, muitas já estão chamando pelo SAMU para subir as escadas e resolvem se entregar. Voltam para a lasanha, ao risólies, atacam a barra de chocolate, tomam litros de refrigerantes e se dão por satisfeitas. É decretado o falecimento da dieta.

Para compensar o estrago feito - e com o objetivo de perder peso - querendo comer o que se quer e ainda dar Adeus à celulite, o que muitas mulheres fazem? Vão para as academias. Malham 1h, 2h, 3h por dia, Todos os dias!

Após a entrega excessiva aos aparelhos de exercícios, o que acontece? Resultado:



PS: Mulheres, os músculos não foram feitos para vocês! (fikdik)

sábado, 1 de agosto de 2009

Espero que Fique

O @murilogun publicou no Twitpic dele e eu divido com vocês esta imagem.

Angelina Jolie com um tomara-que-caia e Preta Gil com um espero-que-fique

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso