segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O que fazer com o carro velho?

O ser humano é filho do @OCriador (apesar de muitos não acreditarem), então deve ser este o motivo que o faz criar novas coisas a cada momento.

Acredito que ninguém tem a capacidade de se adaptar e criar novos espaços, como o ser humano. Basta olhar nos jornais, sites, emails e por ai afora as inúmeras novidades criadas pelas pessoas com algumas úteis, e outras nem tanto.

A criação de hoje deveria servir de inspiração aos ferros velhos que estão cheio de entulhos e sucatas. O que fazer com aquele carro velho sem serventia?

Que tal uma casinha de cachorro?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

É preciso mudar de foco

Já contei o quanto gosto de conversar com pessoas sábias, de bem com a vida e legais? Principalmente se elas souberem mesclar o humor com a sabedoria, onde o papo flui, as horas passam e a gente nem percebe.

Somos todos um pouco guardiões uns dos outros, principalmente nesta rede fria da internet. Há momentos em que as pessoas nos procuram e puxam o papo lá do tempo do epa, porque necessitam de atenção. Estão carentes e querem conversar, ouvir uma palavra amiga, algo que impulsione a seguir em frente.

Em outros momentos, somos nós que estamos com o tédio ligado em "mode ON" e tudo está chato. Viver não tem o mesmo sabor de outros momentos, então buscamos nas outras pessoas o ombro amigo e as palavras certas para nos animar naquele instante. O contato pode ser pessoal ou virtual por MSN, Orkut, Facebook, Twitter, Blog ou até mesmo por email.

E foi por email que, entre tantas bobagens e spams, recebi uma mensagem do Lourival Lopes. Nem sei o que faz da vida, como vive, onde mora, etc... mas foi a mensagem dele que me fez enxergar melhor esta semana que não foi das melhores pra mim. Vou compartilhar o que Lopes aconselhou algumas pessoas através do email.


Não se lastime.
Os outros nem sempre têm ouvidos para ouvir lamúrias.
Eles já têm que carregar a si mesmos, o que é bastante.
Ademais, o lamento é apenas fruto do exame negativo da situação.
Se o exame for positivo, ela se torna outra.
Cada interpretação estampa o campo íntimo de quem a faz.
Mudando-se este, aquela muda.
Não se angustie ante a vida ou mesmo por alguns fatos.
Veja tudo com ânimo e esperança.
As coisas mudam.
Faça apenas relatos agradáveis.
Nada vem do mal para quem só vê o bem.
Se você põe alegrias dentro de si, não deixa a tristeza entrar.


Graças a Deus que o final de semana já está chegando, pois preciso de descanso e mudar o meu foco. Ao menos por hoje, parei de reclamar e esperar pelo próximo. Todos tem problemas e, às vezes, não querem saber de mais um (que é o nosso). Ninguém vive só (isso é fato), mas a felicidade pode estar mais conosco do que na outra pessoa.

Desejo um bom final de semana aos meus 40 visitantes (fixos) diários. E se precisarem de alguém para dialogar e ajudar dentro do possível, contem comigo!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Segurei para não rir

Todos sabem que qualquer queda sofrida por um idoso, o problema torna-se maior e inspira cuidados. Recebi esta imagem que mostra um senhor caindo na escada. Juro que segurei para não rir... (Clica na imagem para assistir o tombo)

e não consegui =/

sábado, 21 de novembro de 2009

Do que você tem medo?

Liguei o rádio na Atlântida FM e a música rolava solta fazendo um questionamento pra mim. "Qual é o teu segredo? Do que você tem medo? Não sou nenhum brinquedo que pode se quebrar..."

Essa música do Reação em Cadeia é antiga e fez muito sucesso em alguns verões atrás, mas o questionamento é atual. Do que temos medo? Não sei de vocês (meus poucos e fiéis visitantes), mas eu tenho medo de várias coisas e acredito que todos vocês também.

Quem é que não tem medo de amar e não ser correspondido? Quem é que não tem medo de ficar desempregado e passar fome? Quem é que não tem medo de ser sozinho neste mundo? Ou então, quem é que não tem medo de perder a mãe, pai, filhos - ou outro alguém que você ama - de forma tão precoce nesta vida?

Estes foram alguns exemplos de medo que TODOS nós humanos carregamos. São os medos fixos e que acompanham a gente por toda a vida, uns de forma mais intensa e outros menos. Depois vêm os medos secundários (aquele que é muito particular da pessoa). Alguns têm medo de viajar de avião, outros têm medo de tomar banho de mar e inúmeras mulheres têm medo de baratas, enfim.

O meu medo no presente (nossa vida passa por várias fases e ele vai trocando) é da ansiedade. Descobri que a ansiedade é capaz de matar uma pessoa, se não for controlada. Explico: Esta semana minha mãe fez uma cirurgia delicada, que inúmeras pessoas não saíram do hospital depois dela (não cabe aqui dizer qual é). Porém, com os avanços da medicina, esta cirurgia se tornou mais simples e o percentual de problemas com o paciente é baixo. E quem disse que isto me tranquilizou?

Enquanto o dia da cirurgia não chegava, a minha mente não trabalhava direito. Foram inúmeras noites em claro, alimentos mal digeridos e cansaço mental por causa desta ansiedade excedente que gera preocupação. Nossa mente é capaz de projetar grandes monstros.

Escondi dos outros, o que se passava comigo (bem o meu tipinho de guardar os sentimentos e não deixar transparecer) e a minha preocupação disparava nas alturas. Depositei toda a minha fé de que iria dar certo, mas o mal insistia em plantar a semente do: "e se der errado? Como seria a minha vida sem a mãe, minha base e o meu tudo?"

A cirurgia ocorreu de forma bem tranquila, a mãe já recebeu alta do hospital e está em casa com uma boa recuperação e todos os devidos cuidados (Graças a DEUS). E eu que sofri por antecedência? Ganhei alguma gastrite, olheiras e outros pequenos problemas decorrentes desta expectativa.

Um dia buscarei algum tratamento para amenizar a ansiedade que carrego comigo em todos os aspectos (se eu não conseguir controlar ela, claro). Vivenciei o medo do desconhecido que insistia em me abater. Amigos próximos sabiam que eu não estava no meu normal.

Fiquei mais tranquilo só quando abri o jogo para uma amiga que passou pela mesma situação da minha mãe. Ela foi uma iluminada e me tranquilizou, só então questionei o porquê não tinha falado com ela há mais tempo? Por que guardei comigo algo que poderia ter sido compartilhado e acalmado esta minha ansiedade EXTREMA de preocupação?

Eis o problema... temos medo, guardamos conosco e sofremos. Perdemos ótimas oportunidades pelo simples medo de tentar. Citei o exemplo do meu medo existente na ansiedade e os problemas acarretados por ela.

Não é apenas na área da saúde que o medo atua e deixa a pessoa sem viver por completo. Quantas pessoas estão casadas com alguém que não ama de verdade e são infelizes? Encontraram a alma gêmea no passado e perderam pelo simples medo de tentar e não dar certo.

O medo sempre vai existir, mas não devemos fazer com que ele tome as rédeas de nossa vida. Quem ama tem medo de perder a pessoa em questão. Precisamos viver mais sem se preocupar com o amanhã. Não adianta estar no presente e viver pelo futuro (que ainda não chegou e que nem sabe se vai chegar).

É fácil? Nem um pouco, pois a vida é movida por sentimentos e estes são bem complexos para traçar uma sequência lógica. Mas uma coisa é certa: Independente do nível de relacionamento com a pessoa amada (pais, amigos, namoradas (os), parentes...) não devemos deixar que o medo impeça de demonstrar o quanto amamos estas pessoas, antes que possa "ser muito tarde pra voltar atrás".


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Como é feito a etiqueta da Lacoste?

Quem é que não tem (eu não tenho) ou ainda não esbarrou com alguém que usa camisetas da Lacoste, aquela famosa que leva um símbolo de um jacarezinho? (Beleza, sempre tem alguém que nunca viu e não sabe nem o que é).

Além de bonitas, elas são comercializadas desde um custo acessível, até para quem tem um bolso bem fundo cheio de verdinhas.

Recebi um email genial do Rafael (valeu cara), que mostra como o animal é colocado na etiqueta da Lacoste. Este vídeo foi produzido lá naquelas bandas de quem tem olhinhos puxados e escreve desenhando (China / Japão / Coréia...), veja só.

Mister M é um nada perto desse cara

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Do choro da Madonna, eu quero uns 500

Uma vez assisti um documentário que falava sobre o poder da atração (O Segred0), e dizia que pensamentos se materializam em coisas. Tirando vários pontos que discordei da apresentação dos autores, uma coisa eles tem razão: Pensar positivo => leva a reações positivas.

É a única explicação lógica que vejo para quem tem dinheiro, ficar cada vez mais rico. É o poder da grandiosidade, pensar sem esbarrar nos limites das finanças e investir sem medo para ter o retorno depois. Temos como exemplo a cantora Madonna, que ficou uns dias de novembro no Brasil, trouxe Luz à tira colo e encontrou o país num apagão.

A pop star foi embora com R$ 10 milhões a mais na conta bancária (que, segundo Madonna, será aplicada em obras sociais). Deste total, R$ 7 milhões vieram do empresário mais rico do Brasil, Eike Batista.

Quantas pessoas e instituições - que desempenham um lindo trabalho neste país - lutam para conseguir 10% deste recurso? Quantos realizam obras sociais fantásticas por aqui, com menos de 1% do que ela ganhou? E por que estas pessoas não conseguem doações com a mesma facilidade de Madonna?

É claro que a resposta é óbvia: Porque não dá mídia, não são famosos e nem bem ($$) de vida.

É por não ser deste jeito, que estas pessoas e instituições filantrópicas mereciam ganhar vastos recursos do governo e de grandes empresários. Um agravante neste caso: a pessoa simples - quando solicita apoio para financiar projetos - já vai com o pensamento de que ninguém vai colaborar.

Já a cantora (que é rica e famosa) não tem este tipo de pensamento e foca a mente em coisas boas, em mais verba, entre outros... e não fica difícil para ela levantar os recursos necessários.

Assim acontece com outros famosos. São sempre presenteados com carros 0km, viagens, relógios, camisetas... mesmo sem precisar. Eles ganham estas cortesias porque tem o pensamento livre da falta de recursos e ganham mídia quando estas coisas acontecem, o que fortalece a marca que forneceu o "mimo".

Quando o empresário Eike Batista anunciou a doação de R$ 7 milhões para o projeto social da Madonna, ela chorou. Mas k-entre-nós: Quem não choraria ao ganhar 1/7 deste valor?

Do choro da Madonna, eu quero uns 500


E como disse @OCriador

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Bem Feito!

Tenho uma bronca quando esbarro pelas ruas da vida com motoqueiros que, ao invés de andar sobre duas rodas (que já é pouco), andam com uma só se achando os malandrões. Além de correr o risco de se machucar, eles colocam a vida de outras pessoas em risco, pois - se aparecer alguem inesperado - o motoqueiro não vai conseguir segurar e evitar o impacto.

Minha carteira de motorista é AB, mas só uso o lado B, porque nunca me adaptei à motos. Acho extremamente perigoso, além transitar na rua em desvantagem. Basta cair uma chuvinha para o coitado do motoqueiro se molhar. Se acontece um acidente entre carro e moto, nem é preciso lembrar quem fica na pior.

Vou confessar uma coisa: Sempre que vejo um motoqueiro andando sobre - apenas - uma roda (palhaço), torço que aconteça com ele o mesmo deste vídeo, que recebi do Leandro (valeu cara).

Bem Feito!

Já este motoqueiro do vídeo abaixo (simples trabalhador), fiquei com pena pelo acidente. Só espero que não tenha se machucado.

Acho que ele escutava aquela música: "Ando meio desligado..."

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Jornalismo no Twitter

Que a minha vida está bem corrida, e estou quase sem tempo para escrever textos pro blog e dialogar com vocês, meus milhares de leitores (30), não é novidade... já falei isso em mais de 10 postagens.

Porém, uma ferramenta BEM BOA para manter a vida virtual atualizada é o Twitter, e estou por lá todos os dias. Então, quando sentirem falta das minhas atualizações por aqui - enquanto minha vida não volta ao normal - já sabem onde podem me achar (haha, ninguém vai lá me procurar, beleza).

O Twitter é uma ferramenta rápida de comunicação, com textos de até 140 caracteres e blablabla... Vários jornalistas interagem por lá (com ou sem erros de português), e um dos que mais gosto de ler é o @hqexperimental, do site Quadrinhos Gonzo. Vamos ver o que eles andam tuítando (obs: clica na figura para ampliar).

Excelentes [2]

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Assalto no Cemitério

A notícia que gerou uma certa apreensão nesta terça-feira (10/11), veio do site Engeplus

Graças a Deus que ninguém reagiu

sábado, 7 de novembro de 2009

Problemas que ofuscam o Brilho da Vida

Viver bem é saber administrar os problemas. Estou passando por este dilema, pois não vivo bem com os inúmeros problemas - de todos os tipos - que não consigo administrar e que não vale a pena ser mencionado aqui.

Por não conseguir resolver as situações pendentes que me incomodam e dão problemas, a vida fica sem graça. Meu agravante: Sou extremamente ansioso, o que agrava qualquer situação fora do meu controle e que não me deixa tranqüilo enquanto não ver no seu devido lugar (resolvido).

Enquanto o que espero não acontece, estes problemas ofuscam o brilho de viver. Nada que faço - que outrora fornecia uma sensação de alegria e bem estar - tem o mesmo sentido, a mesma pulsação e adrenalina.

Tenho saudades da inocência contida na infância. Saudades de me tornar plenamente feliz com as coisas simples da vida. Quando criança, tudo era tão divertido. Um simples banho, poderia se tornar altas aventuras. Um copo de água com detergente era o ingrediente necessário para se divertir a tarde toda com as bolinhas de sabão. Um desenho preto e branco, e um lápis de cor, era o necessário para me fazer viajar no mundo da imaginação ao colori-los.

Que saudades... IMENSA. E pensar que, quando criança, havia tanta pressa para crescer, ser adulto e independente. Para quê? Queria saber como era viver sem precisar ir à escola, fazer as tarefas, resolver os problemas de matemática e ter que estudar bastante para não reprovar em nenhuma matéria. (coitado)

Então cresci, me formei no colégio, na faculdade e os problemas continuam surgindo e com fórmulas mais complexas que aquelas do X e Y, porque são problemas da vida real. O ser humano é complexo demais, perto da lógica existente na matemática.

A agenda está lá, com as páginas marcadas para resolver os problemas 1, 2 e 3. Quando consigo resolver estas etapas, encontro na fila de espera os problemas 4, 5, 6, 7, 8 e 9... Mais como?

Tenho certeza que não acontece só comigo e me pergunto: Quando vai chegar o dia, onde todos poderão viver plenamente o presente apreciando as coisas simples da vida - igual às crianças - sem ter em pensamento, os problemas pendentes “martelando” na cabeça que não têm solução imediata?

Agora entendo aquela canção do Fundo de Quintal, chamada Nosso Grito
♫ Êta vida, êta vida de cão. A gente ri, a gente chora, a gente abre o coração... ♫

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Preciso URGENTE de Cartomante/Vidente

Procura-se com URGÊNCIA de Cartomante ou Vidente. Pago muito bem!

Telefone: (adivinhe)

Vamos ver quem é o verdadeiro vidente ou cartomante

Ri ALTO quando li isso no jornal

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso