quinta-feira, 29 de julho de 2010

Entre o equilíbrio e a explosão

Sempre busquei ser uma pessoa da Paz, pois sei que nessa vida nada se leva. Já pararam pra pensar o que nós somos fisicamente? Apenas um corpo com tempo de vida bem limitado aqui na Terra e que, quando morre, vira pó.

Sou um cara cheio de defeitos, mas vivo em busca de novas sabedorias, conhecimentos e uma ligação profunda com o lado espiritual. Acredito que a vida é um constante ciclo de aprendizados, onde o autor deste ensino infinito é chamado de Deus.

A lição que aprendemos no momento é: Ser humano, como é ser e se sentir assim? Vou brincar de exemplos com sentido figurado, e vou inventar um. Deus, permitiu que nós viéssemos ao mundo para vivenciar esta experiência incrível com total livre arbítrio. Podemos usar a passagem de nossa vida do jeito que cada um desejar.

Alguns aproveitam este tempo para se rebelar contra O Criador e deixam de acreditar em um sentido da vida. Outros, exploram os limites do corpo que habitam e mergulham numa vida de drogas e prostituição. Tem aqueles que passam toda vida semeando a discórdia, provocando brigas... e há aqueles que fazem um bom proveito desta passagem. Eles ajudam o próximo a fazer o Bem, sem olhar a quem.

Ouvir das pessoas ou ler na bíblia que devemos ser sempre bom, é muito fácil. Difícil é praticar isto no dia a dia. A humanidade vive num sistema que consegue (com facilidade) tirar qualquer um do sério. A mesma boca criada para louvar e agradecer, é utilizada para denegrir a imagem de alguém. A mesma mão feita para estender ajuda, constrói armas e mata os semelhantes.

Como exigir a racionalidade de um pai que perde o filho inocente assassinado por policiais? Como cobrar compaixão para uma família que perdeu a casa consumida por fogo, de forma criminosa? Como pedir a bondade de uma vó que apanhou feio por um neto? Não dá, há momentos em que a vida prega uma peça que tira qualquer pessoa do sério e de uma linha ideal.

Nesta quarta (enquanto eu seguia para o trabalho de carro), uma mulher me fechou feio no trânsito sem motivo algum. Se não fosse minha habilidade de motorista (me achei aqui), teria batido com o carro da mãe. O susto foi tão grande que o pneu derrapou, desviei pro acostamento e quase bati nos carros estacionados.

Quando recuperei o controle, buzinei sem parar pra mulher que fez isso. O sinal de trânsito fechou e eu parei ao lado dela chamando de tudo, menos de santa. Na hora, o meu sangue subiu na cabeça e fiquei tão nervoso, que a minha vontade era de quebrar o carro dela pra ver se a mesma aprendia a dirigir direito.

É claro que NÃO fiz isso, pois contei até 10 e consegui deixar a razão controlar a emoção. Este foi o meu primeiro grande susto no trânsito. Com a derrapagem, buzinas e pessoas olhando, eu já visualizei um acidente em questões de minutos. Então fui para o trabalho (no evento) sem prestar. Imaginei diversos "E se acontecesse isso? E se batesse? E se... E se..."

Ao chegar em casa (mais calmo e tranquilo), pensei: "puxa vida, eu poderia ter sofrido um acidente, mas uma força do bem não permitiu isso e me fez chegar em casa salvo e com o carro intacto". Melhorei com este pensamento. É por essas e outras que acredito: A busca pelo equilíbrio deve ser constante, porque a qualquer momento... a vida vai te cobrar.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Tudo na vida tem seu lado bom

E por e-mail a gente descobre até vantagens em ser Daltônico


OREMOS!

domingo, 25 de julho de 2010

Minha filha não vai mais ganhar Barbie

Quando era mais novo, observava todas as garotas do meu prédio brincando de Barbie. Enquanto os meninos brincavam de carrinho, cujo acidente tinha que parecer real e acabávamos quebrando os brinquedos, as meninas queriam o carro, a casa, os móveis e a lancha do Ken.

Tudo bem, isso foi no passado, numa geração de inocentes e ingênuos que só queria se divertir. Já hoje, as crianças estão mais modernas, só querem saber de computador, Restart, Justin Bieber e namoro. Exatamente, vejo que cada vez mais cedo elas estão a par do sexo e querem participar desta ação dos adultos. O problema? Perdem toda a magia da infância e até os brinquedos - antes inocentes - também ficaram pervertidos, confere ali.


É o fim! Minha filha não vai mais ganhar uma Barbie.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Quer privacidade na Rede Social? Deleta o perfil!

Não consigo compreender a pesquisa divulgada pelo Daniel Lipmann no site Tecnologia UOL (na semana passada), que diz que 50% dos usuários de redes sociais estão preocupados com a privacidade.

A pesquisa realizada pelo Marist College Institute for Public Opinion mostrou que 27 % dos 1.004 participantes estavam preocupados com a privacidade em sites de redes sociais e outros 23% estavam MUITO preocupados.

Segundo o diretor do instituto, Lee Miringoff, este resultado é natural na era da informação. "Algumas pessoas estão preocupadas, relutantes e ariscas sobre a amplitude da informação on-line. Há um elemento de privacidade que algumas pessoas sentem estar perdendo", disse.

Agora, estas pessoas que afirmaram estar preocupadas com a privacidade no Orkut, Twitter, Facebook, etc... vão me desculpar: Quer privacidade? Simples, deleta o perfil! Tem gente que não entende que o legal em participar destas redes, é justamente poder compartilhar a vida da gente e fuçar a vida dos amigos também.

Qual a graça de estar numa rede social e não saber de nada? Como disse o Fabio Margotti, quando postei isso lá no Twitter: "O pessoal ainda não entendeu que privacidade não é o forte de uma rede social". Concordo, e ele disse mais.

Ativar privacidade em redes sociais é a mesma coisa que ir pra praia de sobretudo, chapéu e óculos escuros...

Exatamente!


É por essas e outras que o Orkut começou a morrer. Sim, talvez não literalmente, mas a cada dia ele perde mais a graça. Começou com a bobagem de restringir tudo e depois mudou o layout que (na minha opinião), quis imitar o Facebook e o Twitter, mas ficou pior ainda com um visual horrível. A galera do ZieTop registrou bem o momento quando começou a decadência do Orkut.

Quando o perfil com cadeado for maioria no Twitter, ele vai perder a graça também!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Divagações sobre o Dia da Amizade

Nesta terça-feira, 20 de julho, comemora-se o Dia da Amizade no Brasil, e o Dia do Amigo no resto do mundo. Se não fosse o Google ou o Twitter, jamais saberia disso. Sabe quem inventou isso? O Enrique Ernesto Febbraro, na Argentina. (Fonte: Abril)

O que seria da nossa vida sem os amigos? Uma tristeza sem fim (fato!)
Como disse aquele ditado famoso: "Amigo é a família que a gente escolheu".

Feliz é o ser humano que pode contar com um amigo verdadeiro. Você tem? Pensa bem... quem são os teus amigos que você pode contar para QUALQUER hora da sua vida? Se a quantidade passou os cinco dedos de uma mão, meus parabéns! Valorize, pois amigos são aqueles que estão na nossa caminhada da vida, não para atrapalhar, mas para agradar com a sua companhia.

Há outro ditado muito interessante que mostra bem como identificar um amigo. Ele diz: "Quer saber a quantidade de amigos que você tem? Dê uma festa. Quer saber a qualidade deles? Fique doente". É verdade, é na hora da dificuldade que conhecemos quem são os nossos amigos.

No presente, eu não tenho ninguém como meu MELHOR amigo (ainda). Considero "melhor amigo" aquela pessoa que sabe 100% da nossa vida, e - ainda assim - permanece ao nosso lado. Ele fala conosco quase todos os dias, nos visita sem ser convidado e está 24 horas pronto para ajudar. São poucas as pessoas que contam com alguém assim.

Todavia (graças ao bom Deus), eu tenho bons e ótimos amigos. Eles preenchem a nossa vida com coisas boas, que não conseguimos viver sem. No meu caso, tenho amigos de festas, churrascos, do meio jornalístico, grupo carismático da igreja católica, virtuais e de trocas de conhecimento. Todos indispensáveis, e cada um com a sua devida importância que o torna especial.

Já perceberam como as pessoas ricas são rodeadas de muitos "amigos"? Uma vez conversei com uma pessoa que entrou em falência, e ela reclamava que não tinha mais ninguém. Como é triste uma amizade construída na base de interesses. Muito cuidado para não se deixar levar na onda destes falsos "amigos" que estão por perto apenas por conveniência.

Gosto muito de ler o que grandes pensadores falam sobre determinados assuntos. Sobre amizade, Albert Einstein foi feliz ao mostrar que, quando ela é verdadeira, nem o tempo e a distância consegue apagar.

Pode ser que um dia deixemos de nos falar, mas, enquanto houver amizade,faremos as pazes de novo. Pode ser que um dia o tempo passe. Mas, se a amizade permanecer, um do outro há de se lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos. Mas, se formos amigos de verdade, a amizade nos reaproximará. Pode ser que um dia não mais existamos. Mas se ainda sobrar amizade, nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe. Mas, com a amizade construiremos tudo novamente, cada vez de forma diferente, sendo único e inesquecível cada momento que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Para todos que sabem reconhecer o valor de uma boa amizade, Feliz dia do amigo!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Encontro Ungido: Sucesso Absoluto!

Chegou a hora de agradecer! Sim, agradecer pelo encontro ungido com pessoas sábias e ilustres na Rádio Criciúma. Na quarta-feira, o Robson Lopes, Ju Dacorégio, Professor Michel e eu debatemos sobre os mais diversos assuntos, que foram desde o Balneário Rincão até outros planetas.

O melhor de tudo: O debate só ficou rico GRAÇAS à participação massiva dos internautas que interagiram, mandaram perguntas e brincaram conosco. Sem estas pessoas, o papo não seria tão legal e ficaríamos congelando na noite fria da quarta-feira (14/07/2010) - até aparecer o vinho do encerramento para nos esquentar. GLÓRIA 3x GLÓRIA!

Para não dizer que foi perfeito, preciso pegar no meu pé sobre algumas coisas:

1 - Eu falo DEMAIS
2 - Perda ou "Perca"? Como assim Filipe, tu joga essa dúvida no ar
3 - Lembrar de ficar rico com a produção de "Postes" no meu Blog
4 - Falar rápido com português legível, são questões opostas

5 - (MAIS IMPORTANTE): Ter que me ouvir por mais de 1h 30min em áudio, com essa voz horrível de bebê chorando, taquara rachada ou sei lá o que, ninguém merece!

Só que tudo é questão de costume, não é mesmo? A voz da Dilma é HORRÍVEL também, mas nos acostumamos de tanto que ela aparece na TV. Agora é a minha vez de me acostumar com a minha voz horrível, que passa bem longe das boas vozes do radialista ou cantor.

Quer ouvir o papo ungido que ampliou a linha de pensamento de muitas pessoas (mesmo com a minha voz feia)? Então clica nestes links: Parte 1 / Parte 2


Vejamos como foi a repercussão de alguns tuíteiros naquela noite...




Galera também pegou no meu pé nas gafes cometidas...


Renata Margotti se empolgou demais nas comparações...


Fe Zampoli estava preocupada com minha ausência no Twitter, até me encontrar...
O Chicuta quer me canonizar...


Depois a galera deu a sua opinião sobre o final do programa...


Gostei tanto de conversar com eles, que um dia quero repetir :)


E a nossa irmã ungida, Cleycianne (Beleza Loira em Cristo), o que achou do programa?

Hana Macantarava Suya! (uma bençã em inglês)

terça-feira, 13 de julho de 2010

Encontro Ungido!

ATUALIZADO: 13/07/2010 - 22H20

Povo de Deus!!

O papo que convidei vocês para ouvir na Rádio Criciúma, terça, foi transferido!
Quando? Vai ser: Quarta-feira - 14/07/2010 - 22H

Atravessamos a Era do Gelo aqui no sul do Brasil, então a conexão de terça congelou. Sei que teve gente preocupada por não nos ouvir, como esta fã um pouco histérica:


Mas CALMA! Muita calma nessa hora, que na quarta o Encontro Ungido vai prosseguir. E se tiver algo que queira nos impedir, desde já: REPREENDIDO 3x

Até lá o/

____________

Oi?

Posso fazer propaganda de um encontro que vou participar?
POSSO SIM, o blog é meu! (calma, mas não se irrite... chaves ON)

É o seguinte pessoas... Hoje, terça-feira (13/07/2010), vou estar na Web Rádio Criciúma participando de um encontro ungido com outros tuíteiros da região de Criciúma. E o Kiko?

Então, caso alguém tiver o interesse de escutar ao vivo (ou estiver fazendo nada), pode acessar o site http://www.radiocriciuma.com.br/ a partir das 22 horas, que lá estará o Robson Lopes, Juliana Dacorégio, Professor Michel e Eu, conversando sobre assuntos diversos que rolam no Twitter e no World (mundo em inglês).

Para mandar perguntas e interagir conosco lá no papo, basta mandar mensagem pra @RadioCriciuma no twitter. Se por ventura não conseguir ouvir ao vivo - porque pode ficar pausando - o Robson prometeu gravar e depois eu faço um UP DATE (atualização em inglês) deste post com o link do áudio.


Hana Macanrava Suya!


Pronto, este foi o meu recado paroquial.
Obrigado pela atenção :)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

A vida é isso que você faz

Quando um político desvia dinheiro da educação para o próprio bolso,
Uma pessoa tira o seu tempo voluntariamente para educar crianças na favela.

Quando vândalos quebram uma praça pública,
Outra pessoa recolhe lixos na beira-mar e depois cuida de uma quadra de esportes.

Quando um caminhoneiro fura o sinal vermelho com manobras arriscadas,
Um motorista pára antes da faixa de segurança para o pedestre atravessar.

Quando o executivo reclama do seu trabalho e da vida nos aeroportos,
Um lixeiro trabalha cantando por ajudar no sustento da casa.

Quando uma mulher bate à porta na cara de uma criança com fome,
Jovens vão ao orfanato levar mantimentos e brincar com os pequenos.

Quando um técnico de telefone deixa o serviço pela metade porque o expediente terminou,
Um médico sem plantão deixa à família para atender o paciente 4 horas da manhã.

Quando um homem casado deita com a mulher do amigo,
Uma família mostra aos filhos o valor da união e da fidelidade...


A publicação destas diferenças na vida das pessoas, serve para mostrar que quando alguém não age certo, tem outro ser humano com atitudes exemplares. Quantas vezes você já se perguntou: "De que adianta eu ser correto, se todo mundo fica bem ao fazer as coisas erradas?". É neste momento que o desânimo aparece, por pensar que ninguém mais tem amor ao próximo e a humanidade está perdida.

A frase mais corriqueira hoje em dia é: "O mundo é dos espertos". Sim, mas para ser esperto precisa ser mal? Desta pergunta, surge outra constatação: "Bonzinho só se fode". Ela também não está errada, pois quando uma pessoa é boa, ela - em alguns casos - vira fantoche na mão de pessoas má intencionadas.

Não somos perfeitos e erros são praticados todos os santos dias (uns mais e outros menos). Todavia, não precisamos jogar tudo para o alto e cometer atos insanos em benefício próprio. A vida não é para sempre, e essa ficha precisa cair. Quando chegar o nosso momento final, devemos ter uma mente limpa para descansar em paz. Deve haver o questionamento: Valeu a pena viver com as coisas que eu fiz e deixei de herança para o próximo? Se a resposta for Sim, ótimo! Caso contrário, reavalie o seu presente.

Tem um vídeo legal no YouTube criado pelo novo Vlogger, Gustavo Horn, que levanta uma questão: O que você faz da sua vida? Com ótima produção, ele dá dicas de como fazer o mundo melhor com o pensamento de Charles Chaplin. Confira!

Você será lembrado pela marca que deixar

A postagem de hoje é dedicada para você, que não desistiu de ser bom e justo. Não que você seja perfeito, pois isso está MUITO longe dos humanos (só Deus conseguiu isto), mas não se deve desistir de chegar mais próximo do Bem. Encerro com uma lição daquela que foi exemplo em vida, Madre Tereza de Calcutá.

Muitas vezes, as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas.
Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta, interesseiro.
Seja gentil assim mesmo.

Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos é alguns inimigos verdadeiros.
Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco, as pessoa podem engana-lo.
Seja honesto assim mesmo.

O que levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra.
Construa assim mesmo.

Se você tem PAZ, é Feliz, as pessoas podem sentir inveja.
Seja Feliz assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.
Dê o melhor assim mesmo.

Veja você que, no final das contas, É ENTRE VOCÊ E DEUS.
Nunca entre você e as outras pessoas.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Por que há traição no casamento?

Os internautas ficaram eufóricos com o vídeo divulgado no Twitter esta semana sobre o caso das amigas de Socoraba (SP), onde uma Advogada descobre traição do marido com a melhor amiga, põe vídeo na internet, e transforma caso extraconjugal em assunto nacional. A matéria completa sobre este caso foi publicada no jornal Bom Dia Sorocaba (clique no link para ler), e pode ser vista com o vídeo de 10 minutos e 18 segundos.

Quem clicou no link e viu toda matéria, pode perceber que a Vivian Oliveira saiu como heroína pelas pessoas. Fez o que muita mulher gostaria de ter feito, quando descobriu a traição do seu marido - humilhou a amante de todas as maneiras. A pergunta que não quer calar é: Por que há traição no casamento?

Uma reportagem da Daniela Pinheiro (publicada na Revista Veja em 2002), mostrou que os homens traem por razões ligadas à sexualidade. Mulheres, por motivos ligados ao casamento e também vingança. Em geral, as traições costumam ocorrer nos quatro primeiros anos de união e a maioria de homens e mulheres tem vontade de ter um caso. Detalhe: Eles não o fazem por falta de oportunidade. Elas, por não querer que o marido lhes faça o mesmo.

A mesma reportagem aponta o tédio no casamento como grande culpado e diz que muitos casamentos continuam depois da traição. Inclusive, uma pesquisa feita pela psiquiatra Carmita Abdo (Hospital das Clínicas de São Paulo), entrevistou 3 000 pessoas na mesma faixa etária e constatou que 67% dos homens e 23% das mulheres já traíram o parceiro. Mostrar dados sobre infidelidade é tarefa espinhosa. Não há como verificar se quem responde às pesquisas está mesmo dizendo a verdade.

Já a repórter Lúcia Guimarães da GNT, apresentou outra pesquisa sobre o tema que mostra que o adultério está ligado com o nível de QI mais baixo. Veja na reportagem logo abaixo.


Quantas pessoas traidoras!

Pra fechar esta questão sobre o adultério, publico um e-mail que recebi da minha mãe. No diálogo da pequena historinha, é possível perceber (claramente) porque muitos casamentos vão de mal a pior, e por isso ocorre a traição: Falta de interesse na pessoa amada.

Mulher: Meu marido sumiu!!!

Policial: Qual é a altura dele?

Mulher: Eu nunca perguntei qual era a altura dele…

Policial: Ele é magro, é saudável?

Mulher: Não é muito magro... acho que é saudável...

Policial: Qual a cor dos olhos dele?

Mulher: Marron claro ou meio verde... Eu nunca prestei muita atenção…

Policial: E a cor dos cabelos?

Mulher: A cor dos cabelos dele muda de acordo com o sol que ele pega…

Policial: O que ele estava usando?

Mulher: Terno, ou talvez uma coisa mais casual, eu não vi quando ele saiu…

Policial: Havia alguém com ele?

Mulher: Sim, meu cachorro!... Um Labrador chamado Calvin, amarrado numa coleira dourada, altura 80 cm , saudável, olhos azuis, pelo marrom quase preto, a unha do seu dedão esquerdo estava um pouquinho lascada, ele nunca late, estava usando também um cinto dourado com bolinhas azuis, ele não gosta de comida vegetariana, a gente come junto, a gente corre junto…

e a mulher começou a chorar…

Policial: ..Vamos procurar pelo cachorro primeiro!!

domingo, 4 de julho de 2010

Vamos aprender a conviver com as diferenças?

Não é novidade para ninguém que a sociedade atual caminha para uma geração cada vez mais mente aberta. Hoje se busca unir todas as tribos, ao invés de isolar. Virou cafona, anti-social e repugnante discriminar uma pessoa só porque ela é negra, aidética, gay, entre outras características que era motivo de exclusão de grupos para o convívio social.

Vamos relembrar de algumas burrices de quem já habitou o Planeta Terra, ao condenar alguém por achar que essa pessoa era "diferente" das demais. É claro, de forma resumida porque o tempo é precioso e aqui (normalmente) já escrevo além da conta.

Em 1200, a fogueira da inquisição da Igreja Católica foi uma das maiores desgraças que ocorreram na história da humanidade. Em nome de Jesus Cristo, sacerdotes católicos montaram um esquema enorme para matar todos os "hereges" na Europa. A heresia era definida da forma como Roma quisesse definir; isso abrangia desde pessoas que discordavam da política oficial, aos filósofos herméticos (praticantes de Magia Negra), judeus, bruxas, e os reformadores protestantes. (Fonte: A Espada)

No quesito racial, os negros ainda enfrentam muitos problemas - no presente - como salários mais baixos que os brancos, disputa por cotas nas universidades, etc. Porém, não podemos esquecer que já foi muito pior.

Até na década de 60 nos Estados Unidos, negros e brancos usavam banheiros diferentes. Os ambientes eram todos separados e a divisão era muito grande. Não podemos esquecer a Ku Klux Klan que botava fogo em casas de negros, matando diversas famílias, por se achar superior. Era um ABSURDO propriamente dito. Então o reverendo Mather Luther King fez aquele discurso do "Eu tenho um sonho" que ficou na história, assistido por muitas pessoas.

Com os aidéticos, o problema ainda persiste. Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde apontou que, das oito mil pessoas entrevistadas no Brasil, 22,5% disseram que não comprariam legumes ou verduras em um local onde trabalha um funcionário com HIV e 13% afirmaram que uma professora com Aids não pode dar aulas em qualquer escola. (Fonte: Vila Mulher)

A tendência deste problema é diminuir. O governo investe e faz campanhas para conscientizar as pessoas dos riscos, e combater a discriminação. Uma decisão em 1987 da Assembléia Mundial de Saúde - com apoio da ONU - criou o Dia Mundial de Luta contra a AIDS (1 de dezembro), que tem o propósito de reforçar a solidariedade, tolerância, compaixão e compreensão por pessoas infectadas com o vírus do HIV. (Fonte: Hospital Tacchini)

E o preconceito mais recente que a sociedade está combatendo, é contra os gays. Não precisamos ir longe. Quem tem mais de 18 anos lembra bem de como uma pessoa era tratada no colégio, quando apresentava este comportamento diferenciado. Eram excluídas de rodinhas de amigos, deixados de escanteio nos trabalhos em grupo e isolados do convívio social com os outros no recreio. Ou seja, eram sinônimos de DEBOCHE.

Eu não sei o que faltava na nossa cabeça para considerar normal este tipo de tratamento. Parafuso a menos, será? Ou falta de amadurecimento? Não sei, mas o que notamos na geração século XXI é de uma sociedade mais tolerante neste aspecto. Acredito que estamos próximos do patamar, em que o respeito para lésbicas e gays ultrapassa 50% da população. Isso é bom? Lógico!

Vivemos uma era de inclusão, respeito e tolerância com a diferença do próximo. A internet e suas redes sociais vieram para consolidar esta façanha. Se queremos uma sociedade cada vez mais justa e democrática, pra quê vamos excluir uma pessoa da nossa roda de amizade só porque ela gosta de pessoas do mesmo sexo? Se ela é um ser humano, uma pessoa provida de inteligência e boa índole, não faz mais sentido aquele comportamento de risos e deboches descarregados neles até recentemente.

Fico frustrado quando estou em rodas de conversas e o assunto cai no questionamento se o fulano ou a fulana é ou não gay? Penso que se ela ou ele for - isso só cabe para aquela pessoa. Não tem porque nos metermos no que eles estão fazendo ou deixando de fazer (em relacionamentos). O resultado final não fará a mínima diferença, pois a geração atual não tolera mais a condenação e exclusão destas pessoas. Logo, se a mulher ou o homem não tornaram público a opção de vida deles, não cabe a nós levantar esta questão.

Uma reportagem da revista Veja (publicada em 12 de maio 2010), fala bem sobre este caso: A Geração da Tolerância. Ela mostra o processo de abertura do diálogo entre grupos héteros e homossexuais que até pouco tempo mantinham distância e não se misturavam. Hoje conversam, são amigos e - em alguns casos - formam grandes grupos de amizades.

Formado em Comunicação Social (Jornalismo), profissão que exige um diálogo com todos os grupos - sem discriminação - vejo isso com bons olhos. A geração do futuro, penso eu, é bem próxima do ideal de humanidade. Aquela que facilita a vivência aqui na Terra e se respeita. Vejo a pulverização do Twitter, Facebook e outras redes sociais, como grandes colaboradores desta integração do conhecimento nas pessoas.

Ela ajuda alinhar o pensamento de todos em busca de uma sociedade mais justa. Quando uma pessoa se mostra arrogante, intolerante ou preconceituosa com outro ser humano, basta ver como grandes correntes são criadas na rede contra essa atitude. Isso é bom, pois não tem cabimento condenar o outro por ele ter um gosto oposto ao seu. Se a pessoa não te prejudica, então não tens o direito de rebaixá-la. Respeito é a palavra chave do presente.

Por falar em respeito, um grupo de pessoas que preciso aprender a respeitar, são os famosos "coloridos" (fãs da banda Restart). Eu simplesmente não consigo ver aquela multidão de gente com óculos coloridos, e conversar de igual para igual sem achar que eles não sofrem de um probleminha na cabeça.

Discriminação: uma puta falta de sacanagem

Assim como todos os preconceitos foram amenizados com o tempo (alguns derrubados), este é mais um que deve ser combatido. Quando for conversar com eles, é preciso tratá-los com a naturalidade que o mundo moderno exige.

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso