sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

2011: eu chorei, eu sorri, eu vivi!

Olá pessoas legais que ainda visitam este blog. Esta é minha última postagem de 2011, então aproveito para lhes desejar boas festas e um ótimo verão. Vou pegar férias nesta sexta-feira e me afastar um pouco da internet em janeiro. Quero aproveitar o verão para estar mais próximo dos livros, amigos e o mar no litoral sul de Santa Catarina. Quem sabe assim eu cumpro tudo que prometi durante 2011, mas que o vício na internet não me deixou cumprir.

Em 2011 eu me afastei de pessoas que achava que eram amigas e me detonaram pelas costas, mas conheci outras maravilhosas que nem esperava encontrá-las. Trabalhei, viajei, voei de avião pela primeira vez, conheci a Oktoberfest, dei entrevista no rádio e na televisão, ri, chorei, dancei, tive porre alcoólico, assisti filmes, passeei com a família, participei de cursos, cobri vários eventos empresariais, esperei começar minha pós-graduação (que não fechou turma), festei muito com amigos, estive presente em várias confraternizações, decepcionei muitas pessoas e surpreendi positivamente outras.

No mundo virtual eu me desliguei totalmente do Orkut (onde visito só para livrar o pó), perdi aquela paixão pelo Twitter no segundo semestre do ano, me amarrei de vez no Facebook e fiquei deslumbrado com pessoas de todo Brasil que conheci na nova rede do Google (Plus). Meu ano foi maravilhoso, mas nunca na história da minha vida eu me senti tão carente. Valorizei todos os beijos, abraços e carinhos recebidos ao longo do ano, coisa que não soube preservar durante meu namoro, mas senti falta de uma pessoa fixa na minha vida. O problema é que quando a gente namora vê um monte de solteiros felizes. Mas quando fica solteiro, é o inverso.


É aquela velha história: Quando você namora firme de alianças, até a tiazona da padaria te enxerga com outros olhos e aparece gente da PQP querendo te pegar. Já solteiro, nem tua mãe te quer direito. E eu que sempre fui independente e desprovido de sentimentos profundos, me vi neste ano mergulhado no desejo de ter alguém para trocar SMS bobas de madrugada, jogar conversa fora, comer pizza e ver filme a sós. Só que, infelizmente, a gente não manda no coração né? Quem eu quis não me queria, e quem me queria eu não estava afim. Sou muito orgulho e, por causa disso, já perdi muitas oportunidades nessa vida. Porém, já me livrei de muita furada também.

Mas 2012 será diferente. Não é isso que falamos todo começo de um novo ano? Só que não mudamos e o ano permanece igual os outros (risos). Pro novo ano que vai nascer eu não prometo nada, pois sei que não sou bom com promessas. Todavia desejo estar mais presente de corpo e alma nos locais que frequentar, pois é chato estar fisicamente num lugar e com a mente distante dali. Espero me iludir menos com as pessoas, principalmente estas que aparecem e somem pelo vasto mundo virtual. Na internet tudo é muito bom, pena que os sentimentos são frios. Basta um block ou delete para desfazer uma relação, sem importar todo diálogo já existente.

Que 2012 seja doce e traga vida boa em abundância. Que a maré de terremotos e tsunamis esteja mais calma, amenizando todas as turbulências enfrentadas na Terra. Que os corpos estejam repletos de saúde e as finanças em dia para desfrutar das maravilhas deste planeta. Que o Ser supere o Ter. Que a educação esteja em primeiro lugar e as pessoas sejam mais amáveis umas com as outras. Desejo concluir 2012 com todos os amigos e entes queridos presentes, vivos e felizes. E que meu coração aprenda obedecer meu cérebro deixando o futuro na mão do destino. Sem pressa.


Será que amar sozinho vai ser a minha sina... 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Minha primeira viagem de avião

Faltam poucos dias para acabar 2011, e eu não posso terminar o ano sem contar uma experiência marcante que foi minha primeira viagem de avião. Aliás, posso sim, mas eu não quero deixar de contar este fato porque pretendo relembrar quando estiver bem velhinho acessando este blog (se é que ele vai durar até lá). Quando surgiu a oportunidade de participar de um Painel sobre o Facebook em São Paulo, com uns amigos de avião, logo abracei essa ideia. O avião estava mais barato que o ônibus, então era o momento de me aperfeiçoar na maior rede social do mundo e experimentar essa sensação de voar.

O evento aconteceria no sábado (1 de outubro), então escolhi o voo 1839 da Gol que estava agendado pra sair de Florianópolis na sexta-feira (30 de setembro) às 19h40. Só que pobre é foda, né gente? Ansiedade estourou todos os limites e fiquei sem sono. Passei a madrugada toda escrevendo na internet e preparando minha bagagem pra decolar. Acho que visitei o site da Gol umas 10 vezes pra ver se realmente minha passagem estava confirmada. Quando o dia amanhece, eu capoto de sono às 7h e acordo 10h, sendo que meu ônibus sairia de Criciúma 11h. Nem preciso dizer que acordei todo atrapalhado, né? 

A vó  Iva me deixou na rodoviária faltando 10 minutos pro ônibus partir, e eu já estava ali todo acordado curtindo o MEU dia: um dia de phyneza em que eu iria ficar mais perto do céu. Embarquei no ônibus e fui logo pro banco da janelinha curtir a viagem. Ligo o mp4 pra ouvir músicas ungidas durante o trajeto, mas senta duas comadres de Turvo atrás de mim que - misericórdia - falam a viagem inteirinha até Florianópolis. Elas estavam indo pra São Paulo, também, e eu torcendo para que não fossem no mesmo voo que eu. Queria começar com pé direito conhecendo gente chique, não esse povo que iria visitar sei lá quem no hospital paulista. Mas enfim, elas não estavam no mesmo voo que o meu.

Muitas vezes eu me atrasei para chegar ao serviço, e até fico com vergonha de falar isso. Minha relação com o relógio é péssima, acho feio essa briga constante contra o tempo. Porém, era 15h e eu já estava no aeroporto Hercílio Luz de Florianópolis esperando o voo que só sairia perto das 20h. Fui logo ao balcão da Gol fazer o check-in, que eu chamei de "tochique-in" tamanha phyneza daquele momento. Fiquei na sala de espera e encontrei uma amiga que iria ao mesmo evento, mas o avião dela sairia perto das 17h. Abri uma revista, peguei um pacote de amendoim e fiquei ali me fazendo de rico no aeroporto curtindo todo momento. 

Só que, Jesus amado, o aeroporto estava com cara de rodoviária. Era criança berrando, família se desentendendo, gente suja... não estava compreendendo mais nada. "Cadê a phyneza? Cadê os artistas?", pensava. Não ouvia nem barulho de avião pousando, já estava ficando no tédio com aquele chá de cadeira todo. Deu 18h, e o meu amigo de Floripa apareceu para ajudar o relógio andar mais rápido. Ele também iria ao evento em SP no mesmo voo que eu, então subimos pra tomar um café e aguardar as gurias de Tubarão que iriam conosco neste avião. 

GENTE: 10 REAIS O CAFÉ, um assalto! Fui obrigado falar pra atendente: "Tu achas que recebo em dólar?", ela riu né... fazer o quê? Quando entregou meu lanche, ela disse: "Desenhei até um coração no café pra você gostar". Tadinha, amenizei meu espanto com o preço e paguei os R$ 10. Afinal de contas ali era um lugar chique, então vamos pagar esse valor. As gurias de Tubarão chegaram e foram comer no restaurante. Eu fui só para acompanhar, mas nem pedi nada. "Se um café custa R$ 10, sabe-se lá quantos cobram pela janta", pensei. Não adianta, pobre no aeroporto é foda. Melhor comer no hotel quando chegar em São Paulo.

A companhia aérea nos chama para sala de embarque e meu coração acelera. Nunca antes na história desse país 30 minutos demoraram tanto pra passar. Depois que minha bagagem de mão passou tranquilamente no Raio-X, começou me dar um frio na barriga. "Era só o que faltava eu ter que ficar no banheiro no meu primeiro voo de avião", pensei. Pobreza tem limite, né gente? Depois controlei um pouco essa ansiedade até na hora de embarcar. Assim que eles chamaram os passageiros para entrar no avião, me surpreendi. Eu estava tão calmo que parecia rotina na minha vida. Tirei até foto na frente do avião com a galera, mas pena que era de noite.

Prontos para decolar

E já que era minha primeira vez viajando de avião, escolhi logo a poltrona 27F que ficava na janelinha perto da asa. Não queria perder nada daquele momento, então me acomodei e desliguei o celular. Ouvi os procedimentos de segurança do voo, coloquei o cinto e esperei o piloto ajustar os equipamentos para decolar. A noite estava linda, sem chuva e nem vento. Ideal para qualquer voo. "Deus, tá tudo tão bom. Não vai fazer esse avião despencar logo na minha primeira viagem né? Não me traumatiza", foi o meu diálogo em pensamento com O Criador. Em seguida o piloto avisou: "Apertem os cintos, prepararem-se para decolagem..." e lá fomos nós.

Que maravilha. Lá do alto tudo é lindo, pena que de noite é escuro e nem se enxerga nada. Quando estava pegando sono, resolvi interagir com duas gurias lindas que estavam ao meu lado. Elas trabalhavam pro Itaú e a conversa delas era só "Ai, vou ter que ir pra Bahia semana que vem". "E eu, que tenho controle de fluxo pra fazer em Brasília?". Diálogo no avião é outro nível, né gente? Eu não quis ficar por baixo, e fingi que estava voando pela 257ª vez. "O problema de viajar tanto é o cansaço físico e estas poltronas apertadas que dão câimbra na perna", falei fazendo a linha de executivo. Só ouvi um "Pois é...", e aquele silêncio mortal que dura um minuto, mas parece que durou uma hora. 

Neste meio tempo chega aeromoça servindo suco de laranja e bolachinha. Aceito tudo, pois me alimentei mal no aeroporto (nem preciso explicar o motivo). Assim que ela passa recolhendo os copos, aproveito pra pedir mais suco porque estava morrendo de sede. Sou cara de pau mesmo, qualé? "To pagannnnndo", já dizia Lady Kate. Fui prontamente atendido, mas minha vontade mesmo era que ela deixasse o resto da caixinha de suco que sobrou ali comigo. Mas né? E a phyneza, onde fica? Fiquei com sede, mas satisfeito com os dois copos de suco. Foi só o tempo de terminar o segundo copo pro avião pousar no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. "Que viagem mais rápida é essa? Não deu nem tempo de me acostumar com o avião", pensei segurando minha língua pra não me queimar na frente das executivas lindas do Itaú.


Pouso ungido em Congonhas

O aeroporto de Congonhas não tinha mais fim. Como pode uma coisa daquelas ser construída numa selva de pedras? Estava maravilhado com o Brasil, até um taxista querer lograr meu amigo e eu informando um preço absurdo para nos levar ao hotel Fórmula 1. Pegamos outro táxi que nos conduziu ao local pela metade do preço. Ainda existem pessoas honestas nesse mundo, que bom. A gente chega de avião e já acham que temos o saldo bancário do Silvio Santos? Quem dera... quem me dera. 

No hotel foi tudo perfeito. Saímos pra comer comida japonesa, caminhamos pela Avenida Paulista. E que tantos jovens fumantes em São Paulo? Gente: de cada 10 pessoas, 9 fumam. A cidade já carrega um ar poluído e o povo ainda ajuda piorar... lamentável. Mas ok, não vou me meter na vida deles. A questão é que gosto de São Paulo, era segunda vez que estava ali. A primeira vez foi em 2008, quando fui de ônibus numa excursão da faculdade. Ficamos quatro dias e visitamos a Globo e o SBT. Foi chique, mas estávamos de ônibus. Agora estava de avião e dependendo de táxi. Menos mal que tinha gente pra dividir os gastos (amém).

O Painel do Facebook na ESPM foi menos do que esperava. Faltou palestrante importante, e quem falou não disse nada de muito relevante pra mim. Mesmo assim foi bom, valeu à pena ter ido. Andei de metrô pela primeira vez e quanta engenharia envolvida naquele lugar... fiquei fascinado. O custo do bilhete era bem acessível, nada comparado com o táxi. No final da noite fomos comer no shopping Iguatemi de SP. A CARA DA RIQUEZA! Um vaso custava dois mil reais. Relógio saia pela bagatela de uns cinco mil reais. Tudo muito simples... Imaginei Eike Batista ali fazendo compras e rindo da cara do vendedor dizendo: "Tá muito barato, fica com o troco". Ainda bem que o preço do Mc Donalds era padrão nacional, e não no mesmo nível desse shopping. 

Já no domingo era hora de voltar pra Santa e bela Catarina, lugar que não troco de jeito nenhum. Viajar é tão bom, mas voltar para casa é ainda melhor. Fomos numa turma de táxi até o aeroporto de Congonhas pegar o voo 1280 da Gol, que estava previsto para decolar 09h06. Procuramos pela Astrid pra ver se estava gravando o programa "Chegadas e Partidas" ali, mas não encontramos. Eu não tinha mais aquela expectativa toda do primeiro voo, mas estava feliz por estar curtindo mais um momento emocionante. É a primeira vez que iria voar de dia e, consequentemente, acompanhar tudo lá de cima. Ver os prédios ficarem do tamanho do lego não tem preço. Aliás tem sim, o custo da passagem (risos).

Decolagem ungida em Congonhas

Detalhe: Vocês acreditam que, antes de decolar, o aeromoço foi até onde eu estava sentado (janelinha da poltrona 26F) dizendo que eu não podia filmar os procedimentos de segurança? Ele estava com medo do Youtube, só pode. Brinks, na verdade eu que sou jeca mesmo né? Sangue caipira corre em minhas veias HAHAHA. Só sei que eu apertei o cinto, vi o avião decolar e estive mais perto de Deus. Olhar o avião passar as nuvens e ver elas embaixo do teu pé até no horizonte, é uma das vistas mais lindas que já vi. Vou morrer sem esquecer este momento. Lá em cima não há problemas, dívidas, preocupações... nada. Enquanto as pessoas vivem seus conflitos em terra, lá no céu você fica longe de tudo isso. Foi espetacular!

Voar acima das nuvens: Inesquecível

Eu só pensava: "Ah, o meu pai aqui para ver isso". Ele é fanático por avião e nunca voou também. Quando eu era criança, ele me levava no aeroporto só para ver o teco teco pousar e decolar. Teco teco são aviões pequenos, pois moro no interior e aqui não tem um aeroporto decente. Estou de olho nas próximas promoções de passagens aéreas. Pretendo comprar pro pai e levá-lo pra qualquer lugar, só para ele experimentar essa sensação de voar. Nem que fiquemos o dia todo no aeroporto para não gastar muito (família simples é assim), mas quero que ele tenha essa experiência que tive. Assim que o avião pousou em Floripa, fui embora de carona com outro amigo que estava no mesmo voo e deixou o carro no aeroporto. Antes de seguir viagem pela BR 101 até Criciúma, paramos pra almoçar camarão num restaurante divino (esqueci o nome) em São José e brindar as coisas boas que essa vida proporciona :)


Que venha as próximas viagens =)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Passa Jesus

Neste mundo cada vez mais atrapalhado, a postagem de hoje volta ser de cunho religioso, motivacional e de fé. Se você faz parte do grupo de pessoas que acredita na história de Jesus Cristo, convido para ler este texto do Paulo Gaefke num local silencioso onde há possibilidade de meditar ou fazer uma prece. Lembre-se: no final da história será você e Deus, e não os outros.

Passa Jesus

Passa Jesus com teus anjos na vida de cada um que te chama agora, levanta os caidos, anima os que ficaram pela estrada da vida.


Renova os sonhos de quem desitiu de sonhar, consola o aflito, enxuga a lágrima dos que choram.

Para muitos, a vida se transformou num grande esforço, onde o simples levantar já se transforma em problemas, e enfrentar as pessoas e as situações, são
formas de tortura.

Passa Jesus com teus anjos, e nesta manhã restaura; a vida de quem já não acredita mais, a fé de quem já perdeu a esperança, o amor de quem se sente só, a dignidade de quem se sente humilhado, a força de quem se sente fraco....

Hoje o Senhor passa pela Terra com teus anjos, e tem muita gente que não vai perceber, estão adormecidos pelas drogas, cegos pelas paixões, corroídos pelo orgulho, perdidos pelo "falso brilho" das coisas do mundo, doentes pelas "facilidades" da vida.

Acorda eles Jesus, desperta-os, renova a vida que o Senhor concedeu através da sua própria vida, passa com teus anjos e derrama amor sobre todos nós, derrama perdão para nossas almas aflitas, saúde para nossos corpos deteriorados, esperança para nossas almas secas, amor para nossos corações vazios.

Passa Jesus com teus anjos, mas, por favor, não se esqueça de mim, da minha vida, da minha família, dos meus sonhos, por crer em Ti, agradeço, espero e confio.

Passa Jesus com teus anjos...

sábado, 10 de dezembro de 2011

Guerra de travesseiros pelo mundo

Final de semana combina com festa ou, dependendo do tempo, um chá de cama mergulhado no travesseiro. Certo? Não importa, só sei que a galera de New York cansou de ficar na cama assistindo filmes e resolveu promover uma guerra coletiva de travesseiros. Todos forevers alones se unem anualmente em frente à Bolsa de NY no Wall Street para brincar. Pelas fotos parece que é bem divertido...





Não é que outras cidades resolveram fazer também?


Budapeste - Hungria



Bulgária


São Paulo - Brasil


Varsóvia - Polônia


Zurique - Suíça

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Pessoas decepcionam, os animais não

Já conheci pessoas tão falsas e mentirosas, que até uma nota de 3 reais consegue ser mais verdadeira do que elas. Estou impressionado com a arte de mentir de muita gente por ai. Tudo bem que todo mundo mente um pouco, de vez em quando, e quem nunca mentiu que atire a primeira pedra. Algumas vezes nem chamamos de mentira, mas sim de camuflar algumas verdades para não decepcionar os outros. Até porque há verdades que, quando ditas, não servem para nada. E se não servem para nada, pra que dizer? Machucar e ferir o sentimento alheio de graça deveria ser crime.

O problema da mentira é quando é exagerada, repetitiva e descarada. Muitos extrapolam o limite do bom senso e acabam acreditando na própria história que inventam. Criam um mundo que não existe em troca de que? Ilusão... pura ilusão. Uma grande mentira tem a mesma sustentação que um castelo de areia. Basta chegar uma onda para tudo desabar. Quando a verdade aparece ela chega na pior hora e derruba todo crédito e confiança que tínhamos depositado em alguém. É por isso que eu prefiro os animais que não falam nada, mas transmitem carinho e te amam incondicionalmente. As pessoas te decepcionam, os animais não.


Exatamente =`/

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Apenas o necessário

‎"Uns queriam um emprego melhor; outros, um emprego...
Uns queriam uma refeição mais farta; outros, apenas uma refeição...
Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver...
Uns queriam ter pais mais esclarecidos; outros, apenas ter pais...
Uns queriam ter olhos claros; outros, apenas enxergar...
Uns queriam ter voz bonita; outros apenas falar...
Uns queriam o silêncio; outros, ouvir...
Uns queriam um sapato novo; outros, ter pés...
Uns queriam um carro; outros, andar...
Uns queriam o supérfluo... 


Outros, apenas o necessário..." (Chico Xavier)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Meu amado dono

Minha vida deve durar entre 10 e 15 anos, já estou com alguns anos. Qualquer separação é muito dolorosa para nós. Não fique zangado por muito tempo e não me prenda em nenhum lugar como punição. Você tem seu trabalho, seus amigos e suas diversões, mas eu...


EU SÓ TENHO VOCÊ!


(Autor desconhecido)

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Se um dia eu pudesse ver...

Se um dia eu pudesse ver meu passado inteiro... ♪


Eu iria optar por não ver! 

O que passou está guardado no coração e não quero resgatar no meu presente. Machuca ver certas coisas que não voltam mais. Dói lembrar que nos afastamos de pessoas que eram tão essenciais para nossa vida, por culpa da distância ou caminhos opostos que foram percorridos. Dói saber que as brincadeiras de pegar, esconde, passa bola, congelar, entre tantas outras infantis que brincávamos com uma galera na rua, ou na garagem do meu prédio, não vão mais acontecer.

E a montagem com os legos? E as lutinhas realizadas com bonequinhos considerados super heróis da época? Aquelas reuniões cheias de gurias carregando álbum para trocar papel de carta? Também tinha disputas do jogo Top Gear ou Mário para ver quem fechava pelo Super Nintendo. Lembro daqueles encontros na casa de amigos ouvindo histórias da Maria Sangrenta e outras lendas que tirava o sono de toda galera durante a noite. Esperar o Natal pra ver se o Papai Noel trazia o presente esperado, quem nunca?

Na adolescência havia disparo no coração pela espera do primeiro beijo. Será que seria bom, ou nosso desempenho seria um fiasco? E as festas que terminavam de madrugadas, será que os pais iriam brigar conosco ao chegar em casa? A matemática continuava com seus problemas obrigando nós resolver e, não contente, incluiu X e Y no meio das operações para ferrar nossa paixão por ela (salvo exceções). Na juventude, o sabor do primeiro porre alcoólico. Foi tão estranho, mas inesquecível. E depois a experiência com a primeira relação sexual. Não foi nada do que esperávamos ao assistir os filmes do gênero, certo? (Risos)

Depois veio a formatura do Ensino Médio, o trote de calouro na faculdade, as festas, os bares, as bagunças, o trabalho, as responsabilidades e a sede por viver. Então você olha para trás e percebe quantas pessoas legais foram perdidas no meio deste caminho. Fica triste, pois havia uma expectativa de que elas estariam com você até o fim. Mas a vida se encarrega de traçar planos diferentes para cada um. Ontem mesmo eu fiz minha primeira grande limpeza no MSN. Tantos contatos que você achava que não conseguiria viver sem sumiram de uma hora para outra. 

Como disse minha amiga virtual, Nandha Joe: "A gente acha que não consegue viver sem certas pessoas, até descobrir que há muito tempo vive sem elas". Exatamente assim. A vida da gente é mesmo uma grande viagem com inúmeras paradas, onde uns desembarcam para outros embarcar e se unir a nós. E assim segue nossa trajetória até chegar minha vez de descer definitivamente deste imenso vagão chamado VIDA.


Meu caminho é cada manhã...

sábado, 19 de novembro de 2011

Somente pessoas medíocres cometem bullying

No programa Altas Horas o apresentador Serginho Groisman lançou uma campanha contra o bullying. No site da Capricho, voltado para os adolescentes, uma página especial sobre o bullying foi criada para relatar o problema enfrentado pelos leitores e angariar apoio dos internautas. No musical da Broadway apresentado em Recife (PE), atores da peça "Hairspray" abordaram a questão do preconceito e discutiram sobre o bullying com os estudantes. E assim vai... Nunca na história do Planeta Terra houve tantas campanhas de conscientização para acabar com o bullying de todas as formas.

Negros, gordos, gays, feias, nerds, religiosos... não importa qual seja o perfil, personalidade ou orientação sexual de cada pessoa. A sociedade nunca esteve tão consciente de que ninguém é melhor do que ninguém, portanto não deve haver discriminação em qualquer local por hipótese alguma. No meu tempo de colégio ninguém sabia o que era "bullying". Existia julgamentos, deboches e até agressões em função das diferenças encontradas nas crianças, sem haver um tratamento adequado contra esta atitude. A partir do momento que houve uma definição para este comportamento imaturo e irracional, começou a surgir campanhas de combate ao bullying com objetivo de conscientizar o público para coibir esta ação.

O problema é que algumas pessoas vivem no Século XXI, mas permanecem com a mentalidade na Idade da Pedra. Julgam, condenam, debocham ou até agridem as pessoas negras, gays, aidéticas, e qualquer outro Ser considerado por alguns como "fora do padrão" da sociedade. Pura ignorância. Crianças não querem mais estudar por ser motivo de chacota dos colegas. Negros são discriminados em locais públicos. Há gays que perderam sua vida por passear com quem gostava numa praça pública. Tudo por causa de seres ignorantes que estão longe de SER HUMANO (em caixa alta), por se julgarem superiores a quem eles agrediram.

No mundo virtual não é diferente. Por trás dos monitores, pessoas medíocres realizam agressões gratuitas contra o próximo e se dá o direito de sair esculachando quem bem entende. Um caso lamentável presenciado por mim, nesta sexta (18), foi na rede do Google Plus. O usuário chamado Bruce Killer entrou no debate promovido por outra usuária e disse que todos os homossexuais deveriam ir para forca. Em plena era digital somos obrigados presenciar mentes tão doentes e retrógradas como ele. Não contente, o usuário classifica os homossexuais como "amebas e inúteis". Lamentável. Obviamente as declarações dele percorreram toda rede e geraram inúmeras reações indignadas.


Comentário foi parar nos assuntos populares da rede do Google

Acho incrível como algumas pessoas se queimam gratuitamente. Se não gosta de gay, não ande com um gay. Se não suporta negros, religiosos, gordos, etc, simples. Basta não andar e nem adicionar nenhuma destas pessoas. Mas NINGUÉM tem o direito de sair agredindo sem motivo algum, se achando melhor e o dono da verdade

Outro caso na mesma rede veio do usuário Júnior Gusmão. Ele adicionou um usuário homossexual e tentou forçá-lo a virar hétero, sem qualquer educação. Novamente isto não pegou nada bem e gerou uma onda de comentários contra o usuário na própria rede.


Não dá para entender esse tipo de gente

O caso é semelhante ao ataque do primeiro usuário contra os homossexuais. Além de não respeitar o próximo, ainda se importa se mete e implica com o gosto dos outros. Voltamos para a velha questão fácil de resolver. Se não gosta das preferências, aparência ou filosofia de vida da pessoa? Simples, não procure ela e evite entrar em confronto. Simples como falou esta participante do Twitter.



Gente igual aos dois infelizes citados no blog estão espalhadas por todo canto do mundo praticando bullying contra várias pessoas de diferentes esferas e camada social. Querem chamar atenção, mas merecem mesmo o isolamento e a indiferença. A educação da população está em transformação. Hoje é perceptível que a maioria sabe respeitar o próximo e não tolera mais excluir pessoas por qualquer motivo banal. Quem excluía um negro, gay, aidético, gordo, etc, hoje a tendência é esta pessoa ficar excluída. Os grupos vão isolando quem se acha superior e não sabe tolerar as diferenças.

Muitos ainda carregam uma grande curiosidade de saber o que cada pessoa curte na área sentimental, sexual, além de distinguir quem é melhor pela raça/cor ou credo (lamentável). Feliz de quem sabe respeitar o próximo e está nem ligando para as preferências de cada um. Cheguei numa fase de vida que não faz mais diferença o que cada um curte ou segue. Se a pessoa for legal comigo, eu serei legal com essa pessoa igual a imagem ilustrada no quadrinho abaixo (clica para ver toda mensagem).


Simples assim²

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Maior avião do mundo pousa em Guarulhos

E o momento de curiosidades diversas continua neste blog, ETA GOD! Agora vamos ver o pouso do maior avião de carga do mundo no aeroporto de Cumbica (Guarulhos/SP) na reportagem realizada pela Marisa Cury para Tv Bandeirantes.

O avião saiu de Houston, nos Estados Unidos, para trazer três válvulas da Petrobras. Chama atenção como um avião desse porte consegue se sustentar no céu. Na hora de pousar, ele abre 32 pneus para aguentá-lo no chão. Solta o play e confere mais detalhes

video

A engenharia sempre nos surpreendendo...

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Nova escada de metrô na Suécia

Olha que sensacional este vídeo que recebi da Ione. Alguém muito criativo resolveu estimular a população da Suécia utilizar as escadarias simples para pegar o metrô. Não é que a ideia deu certo? Uma simples ideia pode motivar as pessoas a fazerem exercícios sem mesmo notar

video

Boa iniciativa!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Ana e o Mar

Enquanto a inspiração não volta para desabafar em longos textos neste blog, sigo compartilhando frases de autores famosos, vídeos interessantes e até músicas que ouço por ai e ficam grudadas na minha mente. A música que posto hoje pertence ao O Teatro Mágico. Estou louco para ir no show deles, mas até o momento não encontrei nada deles agendado pro sul de Santa Catarina.

Falei com algumas pessoas que já participaram do show deles e elas relataram que ficaram, simplesmente, emocionadas. Não duvido, pois esse grupo é mais um daqueles que não compõe apenas uma melodia, mas faz poesia com as músicas. Deixo com vocês a canção deles que mais gosto, Ana e o Mar. A letra conta história da paixão do mar por uma garota e pergunta: Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa? Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar ;)

 

Ana e o mar, mar e Ana.
Histórias que nos contam na cama, antes da gente dormir...  

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Presta atenção o barulho que ela faz

Para começar bem esta segunda-feira, assistam esse vídeo e presta atenção. Presta atenção o barulho que ela faz...

 

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK (chorei)

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Simpsons humano

Refizeram o clássico dos Simpsons, um dos desenhos que mais gosto, em forma humana...


Já pode curtir 1000 vezes? Parabéns aos autores :)

domingo, 23 de outubro de 2011

Vaidade mata

Email recebido pela Janny. Vamos acompanhar...

Uma mulher foi levada às pressas para o CTI de um hospital. Lá chegando teve a chamada 'quase morte', que é uma situação pré-coma, e neste estado encontrou-se com Deus:

- Que é isso? - perguntou ao Criador - Eu morri?


- Não. Pelos meus cálculos você morrerá daqui a 43 anos, 8 meses, 9 dias e 16 horas - respondeu o Eterno.

Ao voltar a si, refletindo o quanto tempo ainda tinha de vida, resolveu ficar ali mesmo naquele hospital e fez uma lipoaspiração, uma plástica de restauração dos seios, plástica no rosto, correção no nariz, na barriga, tirou todos os excessos, as ruguinhas e tudo mais que podia mexer para ficar linda e jovial.

Após alguns dias de sua alta médica, ao sair na rua, algo veio em sua direção em alta velocidade e a atropelou matando-a na hora.


Ao encontrar-se de novo com Deus, ela perguntou irritada:


- Puxa, Senhor. Você me disse que eu tinha mais 43 anos de vida. Por que morri depois de toda aquela despesa com cirurgias plásticas!!???

E Deus aproximou-se bem dela e, olhando-a diretamente nos olhos, respondeu:

- CRIATUUUURA...... 
EU NÃO TE RECONHECI !!!!!


KKKKKKKKKKKKK

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Simples assim

O Cristo não pediu muita coisa.
Não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou fizessem grandes sacrifícios.


Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros.
(Chico Xavier)

terça-feira, 18 de outubro de 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

A vendedora de torradas

É com os olhos marejados de lágrimas que escrevo esta postagem, pois presenciei uma cena que partiu meu coração. Eu parei com o carro no semáforo da esquina do Banco Real com a Avenida Centenário, aqui de Criciúma, em noite chuvosa e com o tempo esfriando. Fiquei ali tranquilamente ouvindo música aguardando o sinal abrir para poder arrancar. Quando o semáforo abre e eu saio com o carro, olho para minha esquerda e vejo uma senhora que aparenta uns 70 anos de idade, dormindo na escadaria do Banco.

Sabe o que ela estava fazendo ali? Vendendo amendoins e torradinhas para complementar o salário do aposento. Ela não aguentou a jornada do dia e dormiu apoiada na caixa de isopor que carrega as torradinhas. Essa cena partiu meu coração até agora e eu cheguei em casa com os olhos cheios da água. Minha vontade era de dar meia volta, comprar torradinhas com alguns trocados que eu tinha e dar carona para ela até em casa. Só que tinha muitos carros atrás de mim e voltar iria exigir um grande teste de paciência até achar o retorno.

Não importa. Agora eu choro pelo estado que vi aquela senhora tão simpática que sempre oferece essas guloseimas nas esquinas (já comprei dela), e arrependido por não ter voltado. Isso não é vida, gente. Precisamos de saúde para viver, mas ninguém merece envelhecer precisando trabalhar de qualquer coisa - por não ter qualificação - para complementar o salário mínimo da aposentadoria. Que país é esse onde assassinos confessos são libertos, deputados reclamam por ganhar "só" R$ 26 mil (fora os benefícios), enquanto a população de Bem sofre com salários baixos e impostos altos?

Vocês precisavam ter visto a cena daquela senhora dormindo na escada apoiada nas torradinhas, nessa véspera de feriado com chuva. Nós que temos uma casa confortável para morar, um trabalho que não paga o que a gente gostaria, mas supre nossas necessidades básicas, sempre reclamamos de boca cheia. É nessas horas que passamos a dar valor ao que realmente importa. Enquanto uns reclamam que o preço de tal show está caro, que falta roupa de marcas no guarda-roupa e que o carro já não é mais do último modelo, outros estão nas esquinas trabalhando honestamente só para pagar luz, água, aluguel e ter o que comer.

No mesmo dia que completamos 15 anos de ausência do poeta da música brasileira, Renato Russo, eu senti um pouco a profundidade da letra "Há Tempos" composta por ele.

Há tempos são os jovens que adoecem 
Há tempos o encanto está ausente
E há ferrugem nos sorrisos
E só o acaso estende os braços
A quem procura abrigo e proteção...

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Eu estava lá

Enquanto o tempo não colabora para eu voltar escrever com frequência neste blog, compartilho algumas coisas que recebo ou me indicam pela web. Presta atenção na letra dessa música do Emerson Pinheiro e olha que compositor inspirado.

Rejeições, frustrações, exclusões, lágrimas
Dores, marcas de ilusões,
são como pedras dentro da alma

Uma mãe que sente a dor de um filho que morreu e ninguém estava lá
Deus, como isso aconteceu?
Um marido que se foi, a esposa abandonou
Um pastor que sofre a dor de um ministério que ruiu

Mas eu sou teu Deus e Eu estava lá
No meio do teu vale, Eu estava lá
Colhendo as tuas lágrimas, estava lá
Em noites escuras, Eu estava lá
Já senti a dor do que é perder um filho
Já senti a dor do que é ser traído
Já senti a dor do que é sofrer sozinho 

Fiz tudo por você
Faria de novo por você

Filho amado, hoje Eu te curo,
Hoje eu te reestauro
Tu és meu filho amado



Te pego em meus braços, vem com teu Pai... ♪

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Já dei tempo ao tempo...


mas o tempo não me ajuda 

É bem assim que me sinto nesta semana mergulhada de trabalhos. Nem consegui relatar no blog, ainda, como foi minha primeira viagem de avião. Estou contando os dias para conseguir respirar direito, colocar as ideias em dia e obter inspiração. Enquanto isso vou vivendo nessa correria de cobertura de eventos, participação em shows e presença em aniversários que está bem boa também :)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Voar voar, subir subir...

Gente: como já perceberam abandonei o blog, pois estou sem tempo para fazer tudo que gosto. O trabalho, a vida pessoal e outras redes sociais têm me consumido muito, então fico exausto para pensar, escrever e compartilhar meus momentos com vocês. Não que seja interessante, mas gosto de registrar aqui no blog para arquivo. E a previsão para os próximos dias é de mais correria. Também não reclamo, pois prefiro correria do que ter nada para fazer. Só que fico triste porque quero fazer tudo ao mesmo tempo, mas acabo não conseguindo fazer nada direito e isso diminui qualquer tipo de admiração que alguém possa ter por mim. Ok, chega de mimimi e vamos ao que interessa.

Nesta sexta-feira (30/09/2011) - se Deus permitir - entrarei para o percentual das pessoas que já viajaram de avião (chique). Tenho um curso no sábado na Escola Superior de Publicidade e Marketing (ESPM), em São Paulo, então comprei passagens promocionais na GOL que eram mais baratas do que ônibus. Só assim mesmo para pobre escolher o avião. Apesar de nunca ter viajado deste modo, estou sem medo algum... acredita? Se milhares de pessoas viajam diariamente nesse meio de transporte, porque logo eu preciso me borrar nas calças? Vou fazer o phyno e fingir que estou voando pela 232 vez. Se por ventura o avião sacudir numa turbulência, chamarei a aeromoça para rezar comigo... not

A correria é tanta que fiquei até sem tempo para depositar expectativas nesta viajem. Apenas quero que dê tudo certo. Se eu soubesse que minha vida profissional ficaria toda atrapalhada neste período, não teria feito reserva no curso de mídia digital que vou participar. A minha mente não ajuda mais. Sabe o que é não conseguir colocar uma agenda em dia? Sabe o que é dormir madrugada adentro preocupado se vou dar conta dos meus afazeres, e acordar no dia seguinte podre sem rendimento algum? Lamentável... me sinto mal por isso. Enquanto a vida no trabalho passa por turbulência, a minha vida amorosa está tão perdida que nem GPS encontra mais. Meu coração já cansou de bater e agora só apanha.

Então cai a ficha que você só não é sozinho porque existe Deus, os pais, familiares e amigos. E o relacionamento amoroso... o que é isso mesmo? Enfim, não quero desviar o foco dessa postagem pro meu coração. Quero apenas justificar minha ausência e compartilhar este momento legal + inesquecível que deve acontecer comigo neste final de semana. Dizem que não devemos publicar nossa felicidade, porque a inveja tem internet e te procura no Google. Mas quer saber? Deus é MAIS! A inveja pega quando você passa acreditar nela. Só quero que São Pedro colabore com o tempo para eu ver este mundo de Deus lá do alto, bem lindo, enquanto passeio numa máquina fabricada para voar voar, subir subir. Ir por onde for... 

domingo, 25 de setembro de 2011

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Evidências

Encontrei uma frase perfeita, cujo autor desconheço: "Só porque quem você gosta não manda indiretas, não te chama no msn, não manda um recado ou visita seu perfil no orkut, não quer dizer que ela não goste de você. Afinal, você mesmo faz isso só para não deixar evidências, não é? (24h)" Até me conformou, pois sou bem desses. Só que, infelizmente, muitas pessoas são assim também. De tanto apanhar na cara, magoar sentimentos e frustrar expectativas, criou-se um casulo em volta das pessoas para se proteger contra falsos amores e novas decepções. É como se fosse uma grande caixa anti spam da vida real. O problema é que esta caixa também erra e, muitas vezes, coloca os sentimentos verdadeiros na lixeira.

Caminhamos para uma nova geração educada pelo computador, completamente fria e calculista. Há algo de muito errado acontecendo quando o "Foda-se" soa com mais sinceridade do que o "Te Amo". Cadê o contato físico? Onde ficaram as trocas de olhares? Sem querer ser saudosista, mas já sendo, sabemos bem que há momentos preciosos se perdendo em função do grande tempo que passamos na web. As relações construídas na internet são interessantes, mas se rompem com facilidade como se as pessoas fossem copos descartáveis. Muitos perguntam se você está bem, mas poucos realmente se importam com isso. 

Não há fórmulas mágicas para reverter este processo de banalização dos sentimentos. Também não existe remédio para curar os corações machucados. É muito fácil aconselhar o próximo para tomar iniciativa, mudar suas atitudes, quando não conseguimos colocar em prática tudo aquilo que falamos. Ignorar ou fingir que ama alguém no mundo virtual é bem tranquilo. Difícil mesmo é disfarçar os sentimentos e enganar o coração pelo mundo real, como foi bem interpretado na canção de Chitãozinho e Xororó.


Mas pra que viver fingindo, se eu não posso enganar meu coração?

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Uma breve homenagem a minha mãe, Sandra

Ontem foi aniversário da pessoa mais importante da minha vida: Minha mãe, Sandra. Mulher de fibra, garra e coragem que me deu tudo do bom e do melhor, mesmo sendo uma professora não efetiva que precisou se virar nos 30 para manter a casa com luz, água e comida. Nunca deixou faltar nada e lutou para formar os filhos em colégio que o salário não dava conta de pagar. Essa é a minha mãe, que tanto amo e amarei pelo resto da vida. (Filipe, tens pai? Sim, tenho. Mas... né? Não substitui). Minha mãe foi sempre a mantedora oficial da casa, que controla tudo e se preocupa em dar a melhor educação para os filhos. Cada ser humano tem uma pessoa que gosta mais e admira. No meu caso, esse alguém é a minha mãe.

Dizem que tenho muitas coisas semelhantes a ela. A começar pela ansiedade exagerada, sinceridade e a garra de lutar pelos meus objetivos. Porém, uma das coisas que não puxei foi essa vontade de comemorar aniversários. Incrível como minha mãe AMA fazer festa de aniversário e ganhar os parabéns. Neste 13 de setembro não foi diferente. Ela encomendou uma torta salgada e levou mais outra doce para comemorar na escola com os professores e funcionários. De noite ela fez o mesmo para celebrar conosco em casa. Admiro, sabe? Porque sou o oposto.

No meu aniversário eu sempre fujo de festas e desvio dos parabéns. Gosto de recebê-los, mas não curto muito comemorar. É tanta demonstração de carinho no dia do nascimento da gente, que eu fico me perguntando: Meu Deus, eu mereço isso tudo? Fica a dúvida. Já a minha mãe merece, e ela sabe disso. Não é a toa que faz questão de comemorar com todos que pode esta data especial que marca mais um ano de vida, com saúde (o mais importante). Eu poderia ficar aqui usando todos os caracteres disponíveis neste blog para homenageá-la e demonstrar meu amor por ela, mas não seriam suficientes.

Então, ontem, usei 140 caracteres para mandar uma SMS carinhosa dizendo que a amava. Para ela eu posso usar TE AMO com todas as letras, pois sei que é para sempre. Amor de mãe nunca acaba, e é o único amor verdadeiro que o homem recebe durante toda sua vida. Por isso não me resta outra opção, além de agradecê-la novamente. Obrigado mãe por ter me criado, oferecido educação e ajudado enfrentar essa vida. Agradeço ao bom Deus todos os dias pela sua existência e sempre finalizo minha oração dizendo:


"Que no próximo ano eu possa contar mais uma vez com a tua ungida presença". 
Amém :)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Como é fácil entender uma mulher...

Sou fã dos trabalhos da Cibele Santos. Ela faz com que nós possamos entender melhor vocês, mulheres. Umas das três leitoras assíduas deste blog (que chique eu), a Janny, encaminhou uns quadrinhos da Cibele que mostram bem esse complexo universo feminino. Vejamos como é fácil entender uma mulher...













Simples assim ¬¬

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso