quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Voar voar, subir subir...

Gente: como já perceberam abandonei o blog, pois estou sem tempo para fazer tudo que gosto. O trabalho, a vida pessoal e outras redes sociais têm me consumido muito, então fico exausto para pensar, escrever e compartilhar meus momentos com vocês. Não que seja interessante, mas gosto de registrar aqui no blog para arquivo. E a previsão para os próximos dias é de mais correria. Também não reclamo, pois prefiro correria do que ter nada para fazer. Só que fico triste porque quero fazer tudo ao mesmo tempo, mas acabo não conseguindo fazer nada direito e isso diminui qualquer tipo de admiração que alguém possa ter por mim. Ok, chega de mimimi e vamos ao que interessa.

Nesta sexta-feira (30/09/2011) - se Deus permitir - entrarei para o percentual das pessoas que já viajaram de avião (chique). Tenho um curso no sábado na Escola Superior de Publicidade e Marketing (ESPM), em São Paulo, então comprei passagens promocionais na GOL que eram mais baratas do que ônibus. Só assim mesmo para pobre escolher o avião. Apesar de nunca ter viajado deste modo, estou sem medo algum... acredita? Se milhares de pessoas viajam diariamente nesse meio de transporte, porque logo eu preciso me borrar nas calças? Vou fazer o phyno e fingir que estou voando pela 232 vez. Se por ventura o avião sacudir numa turbulência, chamarei a aeromoça para rezar comigo... not

A correria é tanta que fiquei até sem tempo para depositar expectativas nesta viajem. Apenas quero que dê tudo certo. Se eu soubesse que minha vida profissional ficaria toda atrapalhada neste período, não teria feito reserva no curso de mídia digital que vou participar. A minha mente não ajuda mais. Sabe o que é não conseguir colocar uma agenda em dia? Sabe o que é dormir madrugada adentro preocupado se vou dar conta dos meus afazeres, e acordar no dia seguinte podre sem rendimento algum? Lamentável... me sinto mal por isso. Enquanto a vida no trabalho passa por turbulência, a minha vida amorosa está tão perdida que nem GPS encontra mais. Meu coração já cansou de bater e agora só apanha.

Então cai a ficha que você só não é sozinho porque existe Deus, os pais, familiares e amigos. E o relacionamento amoroso... o que é isso mesmo? Enfim, não quero desviar o foco dessa postagem pro meu coração. Quero apenas justificar minha ausência e compartilhar este momento legal + inesquecível que deve acontecer comigo neste final de semana. Dizem que não devemos publicar nossa felicidade, porque a inveja tem internet e te procura no Google. Mas quer saber? Deus é MAIS! A inveja pega quando você passa acreditar nela. Só quero que São Pedro colabore com o tempo para eu ver este mundo de Deus lá do alto, bem lindo, enquanto passeio numa máquina fabricada para voar voar, subir subir. Ir por onde for... 

domingo, 25 de setembro de 2011

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Evidências

Encontrei uma frase perfeita, cujo autor desconheço: "Só porque quem você gosta não manda indiretas, não te chama no msn, não manda um recado ou visita seu perfil no orkut, não quer dizer que ela não goste de você. Afinal, você mesmo faz isso só para não deixar evidências, não é? (24h)" Até me conformou, pois sou bem desses. Só que, infelizmente, muitas pessoas são assim também. De tanto apanhar na cara, magoar sentimentos e frustrar expectativas, criou-se um casulo em volta das pessoas para se proteger contra falsos amores e novas decepções. É como se fosse uma grande caixa anti spam da vida real. O problema é que esta caixa também erra e, muitas vezes, coloca os sentimentos verdadeiros na lixeira.

Caminhamos para uma nova geração educada pelo computador, completamente fria e calculista. Há algo de muito errado acontecendo quando o "Foda-se" soa com mais sinceridade do que o "Te Amo". Cadê o contato físico? Onde ficaram as trocas de olhares? Sem querer ser saudosista, mas já sendo, sabemos bem que há momentos preciosos se perdendo em função do grande tempo que passamos na web. As relações construídas na internet são interessantes, mas se rompem com facilidade como se as pessoas fossem copos descartáveis. Muitos perguntam se você está bem, mas poucos realmente se importam com isso. 

Não há fórmulas mágicas para reverter este processo de banalização dos sentimentos. Também não existe remédio para curar os corações machucados. É muito fácil aconselhar o próximo para tomar iniciativa, mudar suas atitudes, quando não conseguimos colocar em prática tudo aquilo que falamos. Ignorar ou fingir que ama alguém no mundo virtual é bem tranquilo. Difícil mesmo é disfarçar os sentimentos e enganar o coração pelo mundo real, como foi bem interpretado na canção de Chitãozinho e Xororó.


Mas pra que viver fingindo, se eu não posso enganar meu coração?

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Uma breve homenagem a minha mãe, Sandra

Ontem foi aniversário da pessoa mais importante da minha vida: Minha mãe, Sandra. Mulher de fibra, garra e coragem que me deu tudo do bom e do melhor, mesmo sendo uma professora não efetiva que precisou se virar nos 30 para manter a casa com luz, água e comida. Nunca deixou faltar nada e lutou para formar os filhos em colégio que o salário não dava conta de pagar. Essa é a minha mãe, que tanto amo e amarei pelo resto da vida. (Filipe, tens pai? Sim, tenho. Mas... né? Não substitui). Minha mãe foi sempre a mantedora oficial da casa, que controla tudo e se preocupa em dar a melhor educação para os filhos. Cada ser humano tem uma pessoa que gosta mais e admira. No meu caso, esse alguém é a minha mãe.

Dizem que tenho muitas coisas semelhantes a ela. A começar pela ansiedade exagerada, sinceridade e a garra de lutar pelos meus objetivos. Porém, uma das coisas que não puxei foi essa vontade de comemorar aniversários. Incrível como minha mãe AMA fazer festa de aniversário e ganhar os parabéns. Neste 13 de setembro não foi diferente. Ela encomendou uma torta salgada e levou mais outra doce para comemorar na escola com os professores e funcionários. De noite ela fez o mesmo para celebrar conosco em casa. Admiro, sabe? Porque sou o oposto.

No meu aniversário eu sempre fujo de festas e desvio dos parabéns. Gosto de recebê-los, mas não curto muito comemorar. É tanta demonstração de carinho no dia do nascimento da gente, que eu fico me perguntando: Meu Deus, eu mereço isso tudo? Fica a dúvida. Já a minha mãe merece, e ela sabe disso. Não é a toa que faz questão de comemorar com todos que pode esta data especial que marca mais um ano de vida, com saúde (o mais importante). Eu poderia ficar aqui usando todos os caracteres disponíveis neste blog para homenageá-la e demonstrar meu amor por ela, mas não seriam suficientes.

Então, ontem, usei 140 caracteres para mandar uma SMS carinhosa dizendo que a amava. Para ela eu posso usar TE AMO com todas as letras, pois sei que é para sempre. Amor de mãe nunca acaba, e é o único amor verdadeiro que o homem recebe durante toda sua vida. Por isso não me resta outra opção, além de agradecê-la novamente. Obrigado mãe por ter me criado, oferecido educação e ajudado enfrentar essa vida. Agradeço ao bom Deus todos os dias pela sua existência e sempre finalizo minha oração dizendo:


"Que no próximo ano eu possa contar mais uma vez com a tua ungida presença". 
Amém :)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Como é fácil entender uma mulher...

Sou fã dos trabalhos da Cibele Santos. Ela faz com que nós possamos entender melhor vocês, mulheres. Umas das três leitoras assíduas deste blog (que chique eu), a Janny, encaminhou uns quadrinhos da Cibele que mostram bem esse complexo universo feminino. Vejamos como é fácil entender uma mulher...













Simples assim ¬¬

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Penso que pena que seja pouco

Eu tenho tanto pra compartilhar da minha vida com vocês, meus amigos (3) que leem diariamente este blog, mas cadê a vontade de escrever? Quedêle? Comecei o blog com propósito de compartilhar uma coisa interessante por dia, seja pessoal ou algo que recebi no email. Não durou muito para cair em três atualizações semanais e, agora, parece que ficou uma por semana. Que feio pra mim... (dá nota zero)

Minha vida tem passado por muitas mudanças mentais. Sim gente, minhas ideias estão borbulhando com planos, projetos e cavando coragem para conseguir realizá-los. Como sou covarde no quesito de tomar iniciativas que vão dar muito trabalho depois, eu me acomodo no sentido de controlar o leme deste meu barco que navega rumo algum lugar inesperado. Não entenderam nada né? Não se preocupem, pois nem eu me entendo. O negócio é se deixar levar. É isto que tenho feito ultimamente, me deixando levar pela vida.

Vou vivendo em busca de novidades profissionais, confraternizando com os amigos, aguardando oportunidades de estudos e cursos, trabalhando e administrando meus afazeres conforme consigo (gerúndio de telemarketing ON). Tudo sem me preocupar demais com o restante, que está fora do lugar de onde deveria estar. Meu rendimento funciona conforme minha inspiração, e ela sempre aparece nos 45 minutos do segundo tempo faltando mais cinco da prorrogação. Então dá tudo certo (amém).

Meus planos parecem emissoras de rádio em ondas curtas. Quando menos se espera, desaparecem e eu não consigo mais sintonizá-los. Logo, desisto de almejar o que estava projetado nos sonhos. Só que no dia seguinte, surpresa: a emissora de ondas curtas volta sintonizar com forte frequência e os meus planos retornam com toda vitalidade para serem executados. Eis a minha vida, eis o meu mundo. Estou sempre me redescobrindo e buscando me surpreender. Numa destas buscas descobri coisas não muito legais ao meu respeito, mas também passei a admirar minha capacidade de revigorar quando menos esperava. 

E assim vou levando meu Conto de Fraldas na canção de Tianastácia


My love lua da lenda longe me leva lá...

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso