domingo, 26 de fevereiro de 2012

Deixar a saudade para viver de lembrança

Algumas pessoas possuem o dom da palavra, e certamente o Pe. Chrystian Shankar é uma delas. Numa pregação na missa da família, ele apresentou os quatro tipos de pessoas existentes. Aquelas que atuam no palco da vida, outras que aplaudem, que vaiam e aqueles que não têm reação alguma. Estes últimos são os piores, pois estão mais longe de aceitar o passado, viver o presente e sonhar com o futuro.

Me identifiquei demais com ele, pois tenho vivido muito esse último personagem que não possui reação alguma. Vivo muito com saudade do passado achando que foi a época mais feliz da minha vida, mas não foi. A época mais feliz é o hoje, mesmo com os problemas, doenças, carências... é o hoje de Deus. Não devemos viver de saudade, mas sim de lembranças. Como disse o Pe. Chrystian, troque sua saudade dolorida por uma lembrança gostosa.


Não existe o ontem, não existe o amanhã. Só existe o hoje e agora

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Escrevendo só por escrever

Nunca antes na história deste blog ele foi tão abandonado. Quatro atualizações em 45 dias de 2012 (contando com essa), é vergonhoso para qualquer blogueiro de renome que se respeita. O que não é o meu caso, já que sou um anônimo, falto com respeito comigo mesmo e nem ganho um centavo para postar aqui. É tudo espontâneo, nada do que escrevo ou compartilho é merchã. Quando tentei ganhar dinheiro com o blog via os anúncios do Google, esse gigante virtual me acusou de clicar no banner indevidamente. Tudo porque três pessoas clicavam na propaganda todos os dias, o que, segundo eles, é muito para um blog que tem cinco acessos diários. Qual o problema, né? Que deixassem eu ganhar os meus dois centavos honestamente com isso, para depois trocar por balas.

Já que este blog não nasceu para ganhar dinheiro, o que pensei? Fazer um diário virtual, desabafar aos ventos para que, lá no futuro, eu possa relembrar os momentos que passei e ver de que forma eles me ajudaram ou atrapalharam na vida. Pra variar, não segui isso a risca por cansaço mental. Não é fácil ver uma página em branco na tela do computador com milhares de caracteres te esperando para serem encaixados com objetivo único de fazer algum sentido naquilo que você quer dizer. Fora que essa Língua Portuguesa é muito traiçoeira, onde a gramática com suas crases e concordâncias são facilmente confundidas. Logo, você escreve errado e ainda fica com fama de analfabeto. Oremos!

Com o blog também já tentei comentar alguns absurdos que surgem no cotidiano, finalizando com um belo sermão. Mas, convenhamos, se não consigo colocar em prática minhas promessas e não sigo a risca aquilo que defendo por ai, quem sou eu para dar sermão nos outros? Nem o padre tem essa capacidade, pois ninguém é melhor do que ninguém. Somos todos feitos de carne que apodrece assim que morre. Porém, somos diferentes uns dos outros, revestidos com uma bela alma que se desprende deste mundo para outra plataforma de convivência. Estou louco? Estaria se Jesus Cristo não tivesse vencido a morte.

Mas o carnaval está ai batendo na nossa porta, então não é momento para tristeza e lamentações por aqui. A quem interessar possa, minha vida está bem... Bem fora de rumo, mas o importante é que continuo caminhando e batalhando. Se eu não tivesse criado este blog em 2009, já teria deletado, pois estou sem inspiração e nem saco para escrever. Sei lá, toma muito tempo escrever e manter um blog atualizado, a não ser que você fique copiando na base do ctrl C + ctrl V os outros. Mesmo sem ninguém acompanhar isso, eu me vejo obrigado postar qualquer bobagem aqui, pois lá na frente vou vasculhar meus arquivos e me culpar por não ter compartilhado certos momentos da minha vida. E se isso serve de registro, que fique registrado que passei por uma fase bem indeciso e chato.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Frio de matar os mortos

O frio está tão intenso na Europa que já matou 112 mortos...


Menos mal que esse frio não matou nenhuma pessoa viva --'

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

No amor: há quem diga...

Há quem diga que o amor é para sempre, e se acaba é porque você nunca amou...



Eu discordo

O amor é igual uma planta: inspira cuidados e se não regar, morre.

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso