quarta-feira, 14 de março de 2012

Chame a Deus

É público e notório que estou sem tempo para me dedicar este blog. Porém, pra teia de aranha não acumular por aqui, de vez em quando apareço para compartilhar algo que vi na net e achei interessante. Todos sabem que sou católico praticante e acredito muito em Deus, certo? Basta ver minhas postagens antigas e observar diversos debates que já provoquei sobre esse tema. Ateus e religiosos souberam se manifestar de forma madura e respeitosa, sem ninguém interferir na crença (ou descrença) do outro. Que bom...

O que poucos sabem é que na minha adolescência eu frequentei uns tempos a Igreja Universal de Criciúma. Fui a convite da minha vó, já que estava afastado de todas as religiões e na época eles estavam trazendo uma forma nova de se comunicar com Deus. Um jeito diferente de orar e conversar com Cristo, que não encontrávamos na Igreja Católica. Hoje, os encontros da Renovação Carismática trazem toda uma abordagem diferenciada das missas tradicionais, o que se assemelha muito com o início da Igreja Universal.

Pois bem, tirando a parte dos excessos de pedidos de contribuições financeiras que já existia desde aquela época, gostei da experiência na Igreja Universal. Os encontros eram muito bonitos, a forma de se manifestar sua fé era muito forte e as conversas com O Criador eram bem diferenciadas. Eles saíram das orações decoradas para entrar numa conversa franca de homem mortal X aquele que tudo pode. Você entrava cheio de problemas e saia de lá aliviado. Não que milagrosamente os problemas deixavam de existir, mas surgia autoconfiança. Havia uma certeza de que, os problemas que fogem do nosso alcance seriam solucionados com intervenção divina.

A música sempre foi muito aliada nestes encontros. Elas apareciam quando estávamos orando (que não passa de uma conversa íntima com Deus, que muitos insistem em berrar) contando os nossos problemas e solicitando um auxílio. Todos sabem que não tenho preconceito com nada, muito menos com religiões diferentes, mas depois de uns meses eu deixei de frequentar essa igreja. Respeito todas, mas meu lugar é na Católica. Principalmente nos encontros da Renovação Carismática que são parecidos com os evangélicos. Mas levo com carinho esse tempo de conhecimento que passei na Universal.

Para minha felicidade, reencontrei uma das primeiras canções que me tocou profundamente neste local. O nome dela é "Chame a Deus" e compartilho neste blog, pois ela contribuiu numa fase que eu precisava resgatar minha fé. Quem tiver alguma afinidade com a música gospel está convidado apertar o Play.

 

Chame a Deus que o tempo passa e não volta mais. 
Sua chance, sua vida pode se acabar. 
Ele cura a ferida te libertará. 
Chame a Deus, chame a Deus...

3 comentários:

  1. Admiro quem é capaz de se entregar não a Deus, mas a uma religião!

    ResponderExcluir
  2. Idem. Religião é só um caminho pra te ajudar ficar sintonizado na fé, mas não é a salvação ;*

    ResponderExcluir
  3. Boa noite, Filipe.

    O texto é tão belo quanto essa imagem!

    Boa semana.
    Maria Auxiliadora (Amapola)

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso