sexta-feira, 13 de abril de 2012

A morte (by Pedro Bial)

“... você tem planos pra semana que vem, precisa autenticar um documento em cartório, colocar gasolina no carro e no meio da tarde morre. COMO ASSIM? E os e-mails que você ainda não abriu, o livro que ficou pela metade, o telefonema que você prometeu dar à tardinha para um cliente? Não sei de onde tiraram esta idéia: morrer. A troco? Você passou mais de 10 anos da sua vida dentro de um colégio estudando fórmulas químicas que não serviriam para nada, mas se manteve lá, fez as provas, foi em frente. Praticou muita educação física, quase perdeu o fôlego, mas não desistiu. De uma hora pra outra, tudo isso termina numa colisão na freeway, numa artéria entupida, num disparo feito por um delinqüente que gostou do seu tênis. Qual é?

Morrer é um clichê. Obriga você a sair no melhor da festa sem se despedir de ninguém, sem ter dançado com a garota mais linda, sem ter tido tempo de ouvir outra vez sua música preferida. Você deixou em casa suas camisas penduradas nos cabides, sua toalha úmida no varal, e penduradas também algumas contas. Os outros vão ser obrigados a arrumar suas tralhas, a mexer nas suas gavetas, a apagar as pistas que você deixou durante uma vida inteira. Logo você, que sempre dizia: das minhas coisas cuido eu!

Que pegadinha macabra: você sai sem tomar café e talvez não almoce, caminha por 1 rua e talvez não chegue na próxima esquina, começa a falar e talvez não conclua o que pretende dizer. Não faz exames médicos, fuma dois maços por dia, bebe de tudo, curte costelas gordas e mulheres magras e morre num sábado de manhã. Se faz check-up regulares e não tem vícios, morre do mesmo jeito. Isso é para ser levado a sério? Morrer cedo é uma transgressão, desfaz a ordem natural das coisas. Morrer é um exagero. E, como se sabe, o exagero é a matéria-prima das piadas. Só que esta não tem graça!"

(Pedro Bial)

Obs: Há dúvidas quanto autoria do texto. Inúmeras referências afirmam ser do Bial, mas não há confirmação.

7 comentários:

  1. Esse texto não é de Pedro Bial

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas referências dizem que é dele http://pensador.uol.com.br/frase/NzgwNzU0/

      Se não for, quem sabe um dia o autor real se manifeste e insira seu crédito nos comentários ;)

      Excluir
    2. O próprio Pedro Bial já alertou que esse texto não é de sua autoria

      Excluir
  2. Não vi o alerta dele, mas coloquei uma observação deixando em dúvida a autoria

    ResponderExcluir
  3. gostei muito do seu blog e já estou seguindo para acompanhar as atualizações, dá uma passadinha lá no meu também - http://conectividadescrita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Indiferente se é de autoria ou não do Pedro Bial. Ainda sim é um grande texto.
    Parabéns a quem escreveu e ao seu blog.

    ResponderExcluir
  5. Curto e grosso, como a morte é. Gostei do texto. =) faltou sua opinião sobre o assunto filipe! hehe bjsss

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso