terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Deixa que digam, que pensem e que falem

É tão chato quando você pensa que esta fazendo tudo certo, e aparece alguém cortando o teu barato pedindo para mudar. Nunca fui bom em aceitar críticas ao meu respeito, mas sempre ouvi com muita propriedade o que as pessoas têm a me falar. Se for algo destrutivo, ignoro completamente. E se for construtivo, fico ali para ouvir tudo até o fim. Prefiro mil vezes quem me procura para dizer o que não gosta em mim (na minha cara), do que quem sai por ai atirando pedras e manchando a minha reputação na surdina.

O fato é que você nunca vai conseguir agradar todo mundo. Na internet, por exemplo, se fico sério não agrado quem se identifica com o meu lado bem humorado. Se viro um bobão postando bobagens para se divertir e descontrair nas redes sociais, acabo afastando quem está ali só para ler coisas sérias. Tu podes ouvir todos os conselhos do mundo, seguir à risca o que as pessoas têm de sugestão (até porque na avaliação delas, elas é que sempre estão certas), mas não adianta. Vai ter sempre alguém para reclamar e dizer que gostaria que fostes diferente.

Citei o exemplo da internet, porque é o meio que mais recebo críticas e elogios. Uns se identificam com minha forma espontânea e brincalhona de se comunicar, já outros acham que isso prejudica minha imagem e recomendam mudar a postura nas redes sociais. Ou seja, nunca vou agradar todo mundo. Por isso acho que cada um deve interagir da forma que se sente melhor, desde que não prejudique e nem calunie a imagem de ninguém. Quem não se identifica, é simples: o unfollow/desfazer amizade é serventia da casa.

São poucos capazes de entender quando você posta algo com ironia, humor, sarcasmo ou por descontração. Vejo as redes sociais como um grande playground onde as pessoas estão ali para brincar, interagir e falar assunto sério. A Karini Lima postou no Facebook algo que resume bem o que eu acho das pessoas que querem passar uma imagem toda "politicamente correta" no mundo virtual. Espia:


Perfeito!

Não suporto quem quer pregar uma imagem de politicamente correto na internet, sendo que na vida real faz mais "merda" que quem posta as besteiras e se diverte pela rede. A questão é simples, não existe o certo e o errado nas redes sociais. Existe sim o que cada público ou amigo se identifica. O que é errado mesmo continua sendo denigrir, caluniar, roubar e matar.

3 comentários:

  1. A internet deveria ser o lugar mais democrático, onde as pessoas deveriam ter a noção (e inteligência) pra saber que ninguém é 100% sério ou bem humorado. Tem gente que cansa nesse meio com tanta reclamação!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, tem muita gente que simplesmente quer que você mude por se sentir "ameaçada", ou por inveja mesmo. Além daquelas que sentem prazer em criticar os outros.
    Mas nem sempre a forma que a pessoa escreve reflete sua personalidade na vida real (um monte de coraçõezinhos na tela não quer dizer que a pessoa ama a outra mais ou não, um monte de kkkkkkkkk ou hauhsuhasuhsu não quer dizer que a pessoa está quase caindo de rir, ela pode estar com uma "cara de bunda" e digitando isso). Tenho certeza que muitas pessoas usam a internet como uma "segunda realidade" de sua vida, e que não condiz com ela ao vivo.
    Gosto quando a pessoa se expressa com ícones ou com ponto de exclamação, mas respeito as pessoas que escrevem certo.
    Críticas ninguém gosta, mas se as pessoas que escrevem com mais "emoção" não gostam quando alguém que escreve certo as critiquem, por que criticam os mesmos, para mim parece a mesma coisa.

    ResponderExcluir
  3. Lágrimas de Areia

    Lá estava ela, triste e taciturna.
    Testemunha de efêmeros conflitos,
    Com um olhar perdido no tempo,
    Não exigia nada em troca
    A não ser um pouco de atenção.

    Sentia-se solitária, oca,
    Os homens admiravam-na pelos seus dotes.
    As crianças, em sua eterna plenitude,
    Admiravam-na muito mais além...
    ... Mais humana!

    De sua profunda melancolia
    Lágrimas surgiram.
    Elas não umedeceram o seu rosto,
    Mas secaram o seu coração,
    O poço da alma,
    Aumentando cada vez mais
    A sua sede.

    Lá ela permaneceu; estática, paralisada!
    Esperando que o vento do norte a levasse
    Para bem longe dali!

    O dia começou a desfalecer.
    Seu coração, outrora seco e vazio,
    Agora pulsava em desenfreada arritmia.
    Desespero!
    A maré estava subindo...

    Em breve voltaria a ser o que era:
    Um simples grão de areia.
    Quiçá um dia levado pelo vento,
    Quiçá um dia... Em um porto seguro.


    Do livro (O Anjo e a Tempestade) de Agamenon Troyan

    SKYPE: tarokid18
    TWITTER: @episodiocultura

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso