quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Quando chega o momento de calar

Sofro de instabilidade emocional. De dia posso estar feliz, mas se alguma coisa chata ou ruim acontece de tarde, encerro a noite triste. Posso estar muito bem numa sala, mas se na outra eu estiver com um problema grande para enfrentar, me fecho e fico na minha até resolvê-lo. Normal, muitas pessoas também são assim e eu não sou feito de emoções exclusivas.

Cada um enfrenta uma adversidade de um determinado jeito. Eu enfrento todas de um jeito só: calado. Estes dias uma amiga me perguntou no MSN: "Está tudo bem contigo? Tais estranho, mais quieto e eu fico achando que fiz alguma coisa de errado". Não, ela não fez nada de errado. Este é o meu jeito e quando enfrento problemas ou tarefas difíceis de serem cumpridas, me isolo e prefiro o silêncio. Gosto de ficar sozinho para por as ideias no lugar.

Isto não é legal e nem visto com bons olhos, quando acontece com uma pessoa extrovertida, comunicativa e que gosta de conversar com todo mundo. Parece que nos transformamos em outra pessoa, compreendo essa percepção. Teria eu o transtorno bipolar? Acho que não, pois o bipolar muda bruscamente e se torna uma pessoa agressiva. Não é o meu caso, para não ser chato com quem gosta de mim eu prefiro manter distância.

O problema é que estes momentos inconstantes de preferir o isolamento, ao invés as pessoas, não têm data para começar ou terminar. Surge ao sabor da primeira tempestade e desaparece quando o sol volta a brilhar na linha contínua da vida. E se a vida da gente é feita de constantes tempestades e problema a ser resolvido, quem aguenta uma pessoa que prefere ficar só quando enfrenta qualquer adversidade?

Eis o meu jeito, prefiro a solidão do que ser uma péssima companhia para alguém. Prefiro estar junto se for para somar, unir forças e tornar um momento qualquer da vida agradável e descontraído. Se for para dividir, ser menos, é melhor tirar o meu time de campo. Se não gostamos de quem nos coloca para baixo quando estamos felizes, não temos o direito de fazer isso com os outros... certo?

Fingir que está tudo bem nem sempre dá certo. Falsos açúcares não adoçam um café, suco ou bolo. Para quem também sofre com instabilidades emocionais ou mudanças radicais no humor, minha recomendação é essa: Comporte-se como um veleiro em dia de tempestades. Recolha sua vela, coloque sua âncora e aguarde que, mais cedo ou tarde, o sol voltará a brilhar para podermos navegar no mar de águas tranquilas.

8 comentários:

  1. o meu problema é parecido com o seu
    e se vc quiser até escrevi um artigo sobre "bipolar"

    http://www.exoticlic.com/2010/08/o-seu-blog-e-bipolar.html

    e tal instabilidade emocional que vc descreveu não é um sintoma disso. eu adoro psicologia, e se vc ler quem tem uma preferencia extrema preferencia à isolação é descrito com uma linha de personalidade "esquizóide" eu, o meu problema é tomar decisões antes de dar uma virada de pagina me isolo, fico numa depre aterrorizadora =/

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu sou muito assim. Extrovertida e sempre rindo. Mas qdo estou preocupada ou triste, fico calada. Porém sempre acabado me irritando porque as pessoas perguntam o que eu tenho e não aceitam "nada" como resposta. Ficam insistindo, insistindo até eu perder a paciência.

    ResponderExcluir
  3. Só pra ti saber que sempre serás uma ótima companhia pra mim seu pesteee...Eu acho que amigos são p/ os bons e maus momentos tb...Qd não estamos legal é tão bom ver q as pessoas sentem nossa falta e se empenham pra nos ver melhor, sabe?
    Eu acho que sei quem falou aquilo ali no MSN hauahua Dona Rê e suas paranóias hauah
    Se precisar grita dai q eu escuto daqui^^

    :* pimpolho

    ResponderExcluir
  4. Eu sou meio de lua. Tem dias que prefiro me isolar e em outros quero a bagunça das gentes e suas esquisitisses...
    Cada um tem seu jeito de agir, só acho que a gente nunca deve guardar muita coisa, acumula e vira uma bola que prende a garganta.
    Aha e tbém sou como sua amiga, sempre que vejo alguém quieto penso que é comigo, algo que fiz...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Vcs são pessoas legais...

    acho difícil encontrar alguém q fique chateado por alguma coisa que vcs fizeram (pelo menos no que vejo aqui na net) :B

    ResponderExcluir
  6. Deixa de ser fresco Filipe.Afinal de contas para que servem os amigos se não para aguentar nosso mal humor?
    Se tiver triste pega um pra Cristo e deu.

    ResponderExcluir
  7. É Lipe. Te entendo e sou muito assim. Toda vez q tenho um problema, eu me recolho e ninguém sabe o q eu passo.
    Mas tem uma hora na vida que não dá. Sabe ne? sou meio Maria do Bairro: sofro muito! rs
    Mas reprimir os problemas nem sempre é a solução. Eu mesma tenho serios problemas de saúde de tanto reprimir minha emoções.
    Mas se tu te sente bem assim que bom. Mas avisa aos teus amigos q tu não tá legal. Sabe.. eles se preocupam com a gente e são uns metidos que sempre querem saber o que está acontecendo!! rsrs

    Taí Lipe! Qndo eu voltar pra visitar o povo em Cric vamos nos encontrar pra beber a falar disso!! hahah bem coisa de filosofia de boteco! Rá!

    Fique com Deus... bjão

    ResponderExcluir
  8. Nossa, eu sou o contrário. Até fico quieta, mas se vem alguém me perguntar o porque de eu estar esquisita eu estresso, rs.
    Olha, concordo em parte contigo, porque não devemos descontar a nossa raiva nos outros mesmo, mas guardá-la para nós mesmos sempre faz mal. Devemos compartilhar o que estamos sentindo, nos abrir com alguém, pois podemos até achar que não, mas quando conversamos com alguém sobre algo que nos aflinge, ele pode até não dar conselho nem nada, mas o simples fato de desabafar, nos melhora, e como.

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso