quarta-feira, 8 de julho de 2009

Só um lembrete de Mário Quintana

'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo: Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'


Este texto de Mário Quintana veio na hora certa para mim. Estou com a minha vida toda atrapalhada. Serviços com prazo estourados para entregar, mas que dependo de terceiros e estes não colaboram. Também tenho coisas pra resolver na parte sentimental, pessoal e familiar, mas que não estou conseguindo. E por ver as coisas fugindo do meu controle, fico triste e preocupado. Acabo sofrendo decepção por algumas pessoas e (sem querer) decepciono outras também. Mas tudo nessa vida passa... tudo é fase, não posso me esquecer disso. O legal do Blog é que a gente compartilha (com os navegantes que atracam por aqui) bobagens, coisas interessantes, ideias, acontecimentos inusitados e desabafos do cotidiano...

Mas vamos que vamos, porque pra tudo se dá um jeito. Menos pra morte, porque no restante há sempre uma esperança de ver tudo 100% como queremos. Abração

PG - Faz chover

7 comentários:

  1. Muito boa a poesia Felipe,mas da próxima vez avisa que a música é Gospel...

    ResponderExcluir
  2. Quanto as coisas pessoais.Nem esquenta cara,é assim mesmo,com todo mundo.O importante é que vc. não esta sofrendo sozinho,estamos juntos nessa empreitada,hehehe.

    ResponderExcluir
  3. essa musiquinha vicia, hehehe

    e por ser gospel, deve ter poder né, pq postei ontem e hj o dia todo foi de chuva na cidade =]

    ResponderExcluir
  4. Mario Quintana sempre serve.

    O jeito é passar a vida vivendo, e não vendo.

    =*

    ResponderExcluir
  5. mt mt mt bom!

    ach oque isso se reflete a grande parte da população, todo mundo tem seus problemas e suas preocupações..

    ResponderExcluir
  6. Não querendo ser chato, o poema está um tanto quanto diferente do original. Infelizmente, alguns acabaram alterando a versão original (e espalhando pela internet), inserindo pequenas partes de auto-ajuda, algo que o poema original sequer cogita. O poema original fala do tempo e da inutilidade de sua mentira aparente. Do ser quanto ainda dependente da inútil casca dourada das horas. O que importa é dar-se conta disso.

    O poema original se chama "Seiscentos e sessenta e seis", o que pode não parecer gospel, mas também não é o que parece. Rsrs. Quintana sempre inspira uma leitura de alma.

    Sem mais delongas, segue o original:


    _________________________________
    Seiscentos e sessenta e seis

    A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
    Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
    Quando se vê, já é sexta-feira...
    Quando se vê, passaram 60 anos...
    Agora é tarde demais para ser reprovado...
    E se me dessem - um dia - uma outra oportunidade,
    eu nem olhava o relógio
    seguia sempre, sempre em frente..

    E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.



    Ass: Davi

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pela colaboração.

    Este poema original eu não conhecia, mas gostei mais do adaptado :)

    ResponderExcluir

Aqui, a Liberdade de Expressão fica por sua conta :)

Compartilhe

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Dicas Ocioso